Bodega Garzón

Amigos, esse texto foi escrito pelo meu confrade Alexandre Hoppe, um dos maiores conhecedores em vinhos e vinícolas do Uruguai com quem já discuti sobre esses assuntos. Dado ao carinho e respeito que ele trata a todos e sua magnífica relação com esses produtores, ele tem trânsito livre nas vinícolas e já me abriu muitas portas para incríveis experiências por lá. Fiquei encantado com o texto, espero que vocês gostem!!

Deslumbrante, majestoso, moderno, lindo, grandioso são alguns dos adjetivos que vêm a cabeça de qualquer visitante que se dispões a fazer os 80 km que separam Punta del Este deste faraônico empreendimento.

Um lugar realmente único.

Garzon0

Conhecer a Bodega Garzón é deslumbrar-se com a arquitetura moderna de um suntuoso prédio encravado sobre as colinas da região do estremo leste da província de Maldonado. A construção, apesar de grandiosa, estende-se de forma horizontal e parece perfeitamente integrada com o relevo e vegetação local. As cores neutras, pedra, concreto, madeira, vidro e espelhos de água, são de um bom gosto arrebatador.

Garzon1

Das diversas janelas e balcões do magnífico prédio têm-se uma vista de tirar o fôlego de grande parte dos 200 hectares de vinhedos distribuídos em mais de 1.100 parcelas. Todas cuidadosamente estudadas e distribuídas para aproveitar ao máximo as suaves inclinações do terreno e permitir que as chuvas, que podem chegar ao dobro do ideal, não interfiram na qualidade das uvas. O terreno pedregoso e arenoso ajuda e muito essa drenagem. Além disso, as terras estão a menos de 18 km do mar. Fato esse que contribui por uma brisa constante.

garzon2.jpg

Propriedade do magnata do petróleo, o argentino Alejandro P. Bulgheroni, que no início dos anos 2000 adquiriu uma vasta área de terra de aproximadamente 4.300 hectares. Ele foi atraído pela excentricidade de outro argentino, o chef Francis Malmann, que redescobriu o minúsculo povoado de Pueblo Garzón. Esse último abriu um restaurante e hotel no pequeno vilarejo que se tornou sensação gastronômica.

A bodega e a fábrica de azeite proporciona emprego direto a nada menos que 2300 pessoas!!! Fato que ressuscitou e alavancou a economia local com geração de outros milhares de empregos indiretos. Apesar de ser uma empresa de propriedade de um estrangeiro, observa-se um orgulho muito grande pela marca em todos os funcionários.

O prédio da bodega levou 5 anos de construção em um investimento estimado em mais de 100 milhões de dólares. O que há de mais moderno no planeta em termos de vitivinicultura está ali. Só para dar um exemplo, as desengaçadeiras estão equipadas com um moderníssimo sistema que faz leitura a lazer de cada bago de uva e descarta as defeituosas ou com maturação inadequada!!!

O passeio tem início na majestosa recepção com uma mesa feita de um gigante tronco de uma antiga oliveira cortada ao meio e deitada ao piso. Somos conduzidos por uma gentil e educada recepcionista que nos acompanha em um giro pela bodega, passando pelas diversas etapas da produção dos vinhos, e pela lindíssima cave subterrânea com gigantescas pipas de carvalho tradicionais e por modernas pipas ovais de concreto.

Pelos caminhos subterrâneos da bodega, mais limpos que bloco cirúrgico,  provamos o fresco e frutado Sauvignon Blanc. Vinho leve de delicados aromas e paladar indicado para aperitivo, entradas ou comidas leves. Logo após, provamos o floral e mineral Viognier. Vinho com mais corpo e que sustenta um peixe ou frango. E, por fim, o emblemático Tannat Reserva, safra 2013, com muita fruta negra, chocolate e café nos aromas e paladar. Vinhaço!!!

Para fechar com chave de ouro, nos deliciamos com um almoço no restaurante da Bodega. Com capacidade para 120 comensais e com uma vista inesquecível, o restaurante é uma verdadeira obra de arte. Optamos por uma sequência de pratos harmonizados com uma sequência de Tannat Reserva 2013, Tannat Varietales 2014 e Tannat Reserva 2015.

Antes que eu me esqueça, falemos um pouco dos vinhos do Uruguai. O pequeno país é uma das estrelas em ascensão no mundo do vinho, oferecendo qualidade e excelência! Encontra-se em uma localização geográfica privilegiada para o cultivo de uvas, na mesma faixa de latitude de outros grandes países produtores, como Chile, Argentina, África do Sul, Austrália e Nova Zelândia. O país é tradicionalmente vitivinicultor, com uma história de 250 anos de produção, graças aos imigrantes franceses e espanhóis. Tanto é que os uruguaios estão entre os maiores consumidores per capita de vinho.

Não há como falar em vinho uruguaio sem falar da uva Tannat, considerada um patrimônio nacional. Mas, nesse país de pequenos produtores, as vinícolas familiares cultivam, além da Tannat, as cepas tintas Merlot, Cabernet Sauvignon, Malbec, e as brancas Sauvignon Blanc, Chardonnay, Semillón e Riesling, entre outras.

A Tannat ocupa cerca de 1/3 dos vinhedos do país. Essa cepa, originária da França, encontrou seu verdadeiro lar junto a esse povo simpático de hábitos europeus.

E para um bom Tannat, nada como uma bela parrilla com carne uruguaia. E se for com um assado de cordeiro… Hummm… Tannat é harmonização perfeita.

O Tannat, uva emblemática do Uruguai, recebe o melhor trato por seus enólogos na Garzón. Cabe lembrar que o conhecidíssimo  italiano Alberto Antonini é o enólogo responsável. Alberto é o enólogo das vinícolas Antinori, entre outras. Além do Tannat Reserva também se destaca o Pinot Noir Reserva e o Albariño da Garzón.

Em outra oportunidade havíamos visitado a fábrica de Azeite de Oliva Colinas del Garzón. Primeiro empreendimento da marca Garzón distante a poucos quilômetros da bodega. Outro passeio único, que além de conhecer a fábrica de uma forma inusitada, através de um corredor envidraçado sobre a fábrica,  também pode-se desfrutar de uma bela degustação de azeites e aprender muito sobre essa cultura.

Voltamos verdadeiramente extasiados com a grandiosidade, a beleza e a capacidade de gerar produtos e vinhos de excelência. Parabéns Bodega Garzón.

Certamente voltaremos.

 

Sobre o autor:

Alexandre Hoppe é médico, Gaúcho, apaixonado por vinhos e pelos pagos do Uruguai.

 

Links:
Site oficial: http://bodegagarzon.com/pt/
Facebook: https://www.facebook.com/ExperienciasGarzon/
Como chegar: http://bodegagarzon.com/pt/restaurante/#informacao
Experiências a escolher: http://bodegagarzon.com/pt/turismo-experiencias-garzon/
Cardápio do restaurante: http://bodegagarzon.com/pt/restaurante/#cardapio

12 comentários em “Bodega Garzón

  1. Bah! Gostei muito! A narrativa foi quase um convite para ir a Maldonado, com a vantagem de que do RS a gente pode ir dirigindo e voltar com uns vinhos no porta-malas…e o tannat reserva da Garzon, então, sem comentários! O melhor tannat que bebi neste ano acompanhado de um churrasco. Se aqui já foi bom, imagino lá!

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s