Tempranillo, Aragonez, Tinta Roriz, Tinto Del Pais e Araúxa. Estamos falando da mesma uva?

Certamente que sim. A Tempranillo é uma casta de uva tinta da família da Vitis Viniféra, sendo uma das mais conhecidas da Peninsula Ibérica. Sua origem é no norte da Espanha, tendo seu cultivo, também, muito enraizado em Portugal e tantos outros países.

As outras denominações atribuídas a Tempranillo e citadas acima, são: a Aragonez, ou aragonês, (como é conhecida em Portugal), ou Tinta Roriz ( na Região do Douro); na Galiza, ela  é conhecida como uva araúja (araúxa); e, Ull de LebreCencibel e Tinto del País são outros nomes que aparecem para a uva Tempranillo em vários lugares, como Penêdes. Em Rioja tem a denominação de Tempranillo e na Ribera Del Duero é chamada de Tinto Fino.

A Tempranillo é a uva tinta mais importante da Espanha. Uma interligação de importância semelhante a Nebiollo e a Sangiovese para os vinhos da Itália. Essa variedade é responsável pela elaboração de alguns dos melhores vinhos de Rioja e Ribera del Duero.

Sobre a real origem da Tempranillo , existem duas vertentes do surgimento e origem da casta. Segundo alguns estudos, a origem da tempranillo seria proveniente da mutação da uva pinot noir, que fora trazida da Borgonha por imigrantes ao fazerem o caminho de Compostela, daí sua semelhança com vinhos franceses da Borgonha em face da sua evolução. E, outra tese, seria que o origem é Espanhola mesmo, e que seu nome vem do termo “temprano”, que significa “cedo” e que seria a ligação entre a casta e o amadurecimento das suas vinhas.

É uma casta muito adaptável a diferentes climas e solos, sendo uma cepa de casca grossa, bagos escuros e pequenos, que sinalizam seu potencial para dar origem a vinhos com sabores complexos e bons níveis de taninos. Razão pela qual o seu cultivo tem aumentado e alargado para outras regiões, sobretudo para o Dão e Alentejo, onde se adaptou particularmente bem, mas também para regiões como o Ribatejo e Estremadura. Bem como na Argentina, sendo esses os potenciais polos de cultivo da Casta atualmente.

As condições ideais de cultivo são os climas quentes e secos, para que a produção seja menor e os bagos mais concentrados. O solo da região de Ribera Del Duero é constituído de calcário e possui um aspecto bastante arenoso, além de contar com a presença de sedimentos argilosos e gesso, já o clima da região é continental, ou seja, com pouca incidência de chuvas e estações bem definidas. Esta casta origina vinhos de elevado teor alcoólico, de baixa acidez e indicados para envelhecer, sendo muito resistentes à oxidação. São vinhos que possuem coloração vermelha-rubi, especialmente, enquanto jovens. Podendo produzir bons rosés, em versões secas, frutadas e leves. São vinhos com  elegância e fineza maior do que a potência, com nível de acidez destacável.

Entre os tradicionais produtores da Região de Ribera Del Duero temos as adegas, segundo informações extraídas do site City Tours Barcelona, dentre elas:

  • Aalto Bodegas y Viñedos. Fundado em 1998 por Mariano García, enologista que tambem trabalhou para Vega Sicilia, e Javier Zaccagnini, responsavel pela vinicultora. Os melhoresvinhos da adega: Aalto.
  • Alejandro Fernández Tinto Pesquera. Alejandro Fernández foi um pioneiro na Ribera del Duero quando começou a produzir vinhos tintos mais concentrados a partir de Trempanillo com estilo frutado e encorpado. Os melhores vinhos desta adega: Tinto Pesquera (tempranillo), Tinto Pesquera Janus, Tinto Pesquera Millenium Magnum.
  • Arzuaga Navarro. Os melhores vinhos desta adega: Arzuaga (Tinto crianza), Amaya Arzuaga Arzuaga (Tinto), Arzuaga Reserva Especial (Tinto reserva), gran Arzuaga (Tinto).
  • Bodega Matarromera. Os melhores vinhos desta adega: Matarromera (Tinto crianza), Matarromera Prestigio (Tinto reserva), Melior (Tinto, roble), Matarromera Prestigio Pago de Las Solanas (Tinto, reserva especial).
  • Bodegas Castillo de Gumiel. Os melhores vinhos desta adega: Silencio Viñas Centenarias (Tinto, barrica), Silencio de Valdiruela (Tinto reserva, Tinto crianza y rosado).
  • Bodegas Emilio Moro. Os vinhos ganharam o prémio do Wine Spectator e do Wine Enthusiast. Os melhores vinhos desta adega: Malleolus (Tinto), Malleolus de Valderramiro (Tinto), Malleolus de Sanchomartín (Tinto), Emilio Moro (Tinto), Finca Resalso (Tinto).
  • Bodegas Valdubón. Os melhores vinhos desta adega: Valdubón (Tinto crianza e Tinto roble), Valdubón Diez (Tinto), Honoris de Valdubón (Tinto).
  • Bodegas Vega Sicilia. Fundada em 1864 por Eloy Lecanda. A adega tem sido controlada por vários donos desde então, mas tem sido sempre conhecida pela sua qualidade. Os donos actuais é Álvarez Mezquíriz, que comprou a adega em 1982. Os melhores vinhos desta adega: Valbuena 5° (Tinto), Vega Sicilia Único (Tinto), Vega Sicilia Único Reserva Especial (Tinto).
  • Bodegas y Viñedos Alión. Os melhores vinhos desta adega: Alión (Tinto).
  • Bodegas y Viñedos Ortega Fournier. Os melhores vinhos desta adega: O. Fournier (Tinto), Urban Ribera Roble (Tinto), Spiga (Tinto), Alfa Spiga (Tinto).
  • Bodegas y Viñedos Viña Mayor. Os melhores vinhos desta adega: Viña Mayor (Tinto Reserva), Viña Mayor (Gran Reserva), Secreto Roble (Tinto), Secreto Reserva (Tinto).
  • Condado de Haza. Os melhores vinhos desta adega: Condado de Haza (Tinto reserva), Condado de Haza (Tinto Crianza), Alenza (Tinto Gran Reserva).
  • Dominio de Pingus, S.L. Fundada por Peter Sisseck em 1995. A adega está localizada na provincia de Burgos, e é famosa por produzir alguns dos melhores e mais caros vinhos espanhois. Os melhores vinhos desta adega: Pingus (Tinto) and Flor de Pingus (Tinto).
  • Protos Bodegas Ribera Duero de Peñafiel, S.L. Os melhores vinhos desta adega: Protos Reserva, Protos Ribera Duero Roble (Tinto), Protos Crianza (Tinto), Protos Gran Reserva (Tinto).
  • Real Sitio de Ventosilla. Os melhores vinhos desta adega: PradoRey Fermentado en Barrica (rosado), PradoRey Vendimia Seleccionada Crianza (Tinto), PradoRey Finca Valdelayegua (Tinto), PradoRey Reserva (Tinto), PradoRey Gran Reserva (Tinto), PradoRey Élite (Tinto).

Nota-se, assim, que a região Ribera del Duero é uma região vasta e com diversas bodegas. Tendo uma produção de mais de 62.000,000 de litros de vinho pro ano. Dando origem a vinhos fantásticos, e vem conquistando uma enorme e merecida reputação nas últimas décadas. Isso se deve, sobretudo, a altíssima qualidade de seus vinhos tintos, que estão entre os melhores do mundo.

Ribera Del Duero recebeu esse nome pro conta da proximidade da região com o Douro. Sendo uma região composta por 102 vilarejos,  11.560 hectares de superfície de vinhedos, além de 178 vinícolas, dentre as quais, algumas estão citadas na lista acima.

Desta forma, o grande sucesso de Ribera del Duero, como conhecemos hoje, ganhou força com essas mudanças na elaboração de seus rótulos. O turbilhão que invadiu a região espanhola foi tanto que o número de produtores de vinhos no território praticamente triplicou. E, mesmo sendo o vinho tinto o vinho símbolo da região, Ribera Del Duero oferece vinhos de diversas variedades, desde de baixas complexidades até vinhos reservas com bastante tempo de barricas.

 

Fontes especiais da City Tours BarcelonaTintos e Tantos e Wikipedia. Demais informações oriundas de estudos e conhecimento sobre a referida casta que será tema de nossa próxima @confrariamesquevemtem.

Ivan Ribeiro do Vale Junior é Sommelier Profissional, Advogado e Membro da Confraria Mês Que Vem Tem Mais.
@ivanrvalejr

26 comentários em “Tempranillo, Aragonez, Tinta Roriz, Tinto Del Pais e Araúxa. Estamos falando da mesma uva?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s