4 ª Edição do International Wine Show

Os últimos grandes eventos para degustação de vinhos realizados em São Paulo deixaram a desejar em muitos aspectos. No lançamento do Guia Descorchados, evento com os principais vinhos e vinícolas da América do Sul, o espaço não era nem de longe suficiente para o número de pessoas presentes. Não foi fácil conseguir um copo de água e não consegui chegar em muitos estandes. Na Wine Weekend, o mesmo problema de superlotação e dificuldades para conseguir almoçar no Abruzzo. Convidei o amigo Fábio Martins para nos contar como foi a experiência no Wine Show, que aconteceu no dia 29 de julho, no Centro de Convenções Frei Caneca.

A 4ª Edição do International Wine Show, em São Paulo, fez jus ao nome: foi literalmente um Show!

O evento primou pela organização. Na entrada, os participantes receberam um Guia em forma de caderno de bolso, com os expositores e seus vinhos em ordem alfabética, dando bastante praticidade para localizar um determinado expositor ou vinho. Isso foi bem mais prático que o Guia Descorchados.

Um salão muito bonito com espaço de sobra e excelente climatização (outro detalhe muito importante e por vezes negligenciado em outros eventos, como foi o caso do Guia Descorchados 2017), Wi-Fi disponível para imprensa e funcionando bem. Os estandes estavam sinalizados por totens e, além disso, foram montados em ordem alfabética, facilitando a localização e um eventual retorno ao expositor.

Em quatro pontos do salão havia mesas com pães e queijos para acompanhar a degustação, todos devidamente repostos à medida da necessidade. A equipe de garçons estava bem preparada e em número suficiente.

O destaque dos vinhos ficou por conta dos chilenos. A importadora Decanter levou o Memórias 2013 devidamente decantado (na minha opinião o segundo melhor vinho do evento), também destaque para o Cabo de Hornos 2014. Os vinhos Argentinos não tiveram grande destaque, exceto pelo Terrazas de Los Andes Single Vineyard Malbec 2010 e pelo monumental Colosso 2013 da bodega Vicentin, sem dúvida o melhor Argentino do evento. A Casa Flora, importadora, trouxe o espanhol Marquês de Tomares Reserva de Família 2011, um dos melhores da Europa que provei nesse evento.

O destaque das vinícolas nacionais ficou com a Quinta Dom Bonifácio, de Caxias do Sul, vinícola que nasceu no ano 2000. Ela apresentou o vinho Habitat Alta Gama, um vinho complexo, composto por um corte de diferentes castas e safras.

O único senão do evento foi o fato de que alguns dos principais rótulos acabaram antes do evento e não foram repostos. Acredito que algumas pessoas não tiveram a chance de provar esses vinhos.

A organização do evento merece ser parabenizada, com certeza um dos melhores eventos de vinho de que participei.

Colosso 2013: Este é o vinho Icone da bodega Vicentin, uma das que mais tem crescido em Mendoza. Trata-se de um Malbec potente e muito encorpado, que passa 24 meses em carvalho francês de primeiro uso, com graduação alcoólica de 15,5%. De cor roxa, quase preta, aromas de frutas vermelhas maduras, especiarias e tabaco com notas de baunilha. Em boca tem taninos firmes e notas de fruta madura em compota. Final longo e muito persistente.

P_20170729_193427_vHDR_On_Fotor

Cabo de Hornos Cabernet Sauvignon 2014: Apesar de ainda muito jovem, mostra ótimas qualidades. Um vinho que precisa ser guardado por muitos anos na adega. Aromas de frutas maduras como cassis, amoras, cerejas e notas herbáceas em evidência, além de tabaco e café. Em boca tem ótimo volume, mantendo a elegância e finesse.

P_20170729_173359_vHDR_On_Fotor

Alta Gama Habitat Lote 2: Elaborado com uvas das safras 2010, 2011 e 2012 é um corte de Cabernet Sauvignon, Merlot, Pinot Noir, Tannat, Petit Verdot, Ancelota e Sangiovese envelhecido por 12 meses em barricas de carvalho francês. Cor rubi com aromas de frutas vermelhas em calda, especiarias e tostado. Em boca é aveludado com taninos macios e muito elegante. Final frutado e intenso. 

Matéria produzida com a colaboração de Fabio Martins, professor e enólogo por opção.

2 comentários em “4 ª Edição do International Wine Show

  1. Cabo de Hornos é uma maravilhosa expressão da CS Chilena. Não sabia que havia mudado o rótulo. Parabéns pela redação da matéria e por abordar um tema que incomoda muitos apoixanados do Vinho.

    Curtido por 1 pessoa

  2. O Cabo de Hornos eu gosto muito Sitta. Já tive a oportunidade de degustar várias safras e sempre mantendo a qualidade.
    O interesse por vinhos vêm aumentando muito no Brasil e os organizadores ainda estão no passado.
    Gostei da matéria.
    Abraço!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s