Redinha de Rioja

English Version by clicking the following link: Why Some Rioja Wines Uses a Wire Mesh

Desde o momento em que certos vinhos foram nomeados como melhores ou mais desejáveis ​​do que outros e, portanto, colecionáveis, a falsificação sempre foi um problema. Assim como com na arte e na moda, as pessoas fazem grandes esforços para apresentar uma cópia verossímil de algo para o qual outras pessoas estão dispostas a pagar caro. E, ao mesmo tempo, aqueles que fazem esses itens originais fazem grandes esforços para falsificações.

Enquanto hoje temos microchips e códigos de barras digitáveis ​​para ajudar a manter a verdadeira origem de um vinho e embora, muitas vezes, isso não seja o suficiente para impedir um falsificador experiente, na época onde essas altas tecnologias não era disponíveis, muitos vinicultores foram deixados a mercê, tendo que criar seus próprios métodos para proteger a integridade do seu vinho.

Mas antes de você chegar à conclusão de que o que os produtores de vinhos realmente estavam tentando proteger era seu lucro, tenha em mente que, após a venda inicial de um vinho, assim como com na arte, o enólogo não vê nenhum lucro adicional à medida que suas garrafas continuam a aumentar a cadeia de leilões, ganhando mais e mais valor. Sua motivação para proteger a integridade do vinho era, em vez disso, para a preservação de si mesmo, pois se alguém conseguisse beber uma garrafa, eles achavam que era um vinho particular, e se esse vinho fosse uma falsificação, os resultados poderiam ser muito ruins para a reputação do vinho, já que o enólogo não tinha nenhuma relação ou controle com qualquer vinho que estivesse dentro da garrafa falsa.

Isso nos leva à origem da tradicional rede de fio dourado que muitas vezes pode ser encontrada em torno das garrafas da Rioja de alta gama. Em 1858, Camilo Hurtado de Amézaga, Marques de Riscal fundou uma adega em Rioja que ele nomeou após o título que ele estava claramente muito orgulhoso de manter: Marques de Riscal. Antes de iniciar a adega, Camilo estudou em Bordeaux e aprendeu a fazer vinhos na tradição francesa e quando ele voltou para a Espanha procurou experimentar esses métodos franceses, fazendo um vinho que foi o primeiro a utilizar barricas de carvalho francês durante o processo de envelhecimento entre outras técnicas francesas utilizadas.

* O título Marques de Riscal é um título nobre espanhol criado em 1708 pelo Rei Felipe V para Baltasar Hurtado de Amezaga e, desde então, apenas 7 outras pessoas o mantiveram.

Logo depois de lançar seus vinhos produzidos usando-se métodos franceses, os Riojas de Camilo começaram a receber prêmios e não demorou muito para que se tornassem os vinhos preferidos do Rei Alfonso XII. Devido a essa preferência, os vinhos do Marques de Riscal tornaram-se extremamente desejáveis ​​e, portanto, colecionáveis. Os falsificadores logo iniciaram as tentativas de falsificação.

Com o intuito de proteger sua reputação e seus vinhos preciosos, Camilo inventou uma rede de fio que cobriu a garrafa, evitando assim que os falsificadores pudessem remotamente remover a rolha, drenando o bom vinho e substituindo-o por outra coisa, ou simplesmente recarregando uma garrafa usada, já que era impossível remover a rede sem quebrá-la, e uma vez fora, a rede não poderia ser colocada de volta na garrafa. Se houvesse algo errado com a rede de fio que cercava a garrafa, o mais provável era que essa garrafa fosse uma falsificação.

A invenção foi um sucesso engenhoso e logo outros produtores da Rioja de alta qualidade começaram a seguir o exemplo, pois também procuraram proteger seus vinhos preciosos. Com o tempo, o uso da malha de arame era tão onipresente, que sua presença em uma garrafa veio a significar qualidade superior da Rioja. O fio dourado tornou-se um símbolo de prestígio e ainda hoje a rede ainda está sendo utilizada por algumas vinícolas, embora seu uso agora seja mais devido à tradição do que a proteção contra a falsificação. Para isso são usados os microchips.

O vídeo abaixo de um amigo do Vivino mostra como remover rapidamente a redinha. O plástico que envolve a garrafa ajuda a conservar os rótulos na adega.

 

 

 

Fonte: http://vinepair.com/wine-blog/rioja-bottles-wrapped-gold-wire-stop-thieves/

8 comentários em “Redinha de Rioja

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s