Quantos anos devemos guardar um vinho? Uma pequena lição que aprendi.

Seu Sitta 1

Amigos,
Há poucos dias, meu pai, o famoso Seu Sitta para os conhecidos, faleceu aos 79 anos e ainda no momento agudo de saudade resolvi escrever um texto para abordar uma última lição que aprendi sobre o melhor momento para abrir os melhores vinhos da adega.

Confesso que tenho uma enorme preocupação com o tema acima e sempre busquei o momento ótimo do vinho, ou seja, o dia em que a chamada curva de evolução chega no auge, inclusive correndo o risco de perder esse melhor momento. Muitas vezes me vejo comprando vinhos para abrir no mesmo dia para só para não ter que mexer na adega. Na verdade, eu sempre imaginei ter o tempo que fosse necessário para guardar e abrir meus melhores vinhos no momento certo.

Já meu pai era completamente diferente. Bastava ter vontade, que em uma simples segunda-feira de chuva ele abria os melhores vinhos da adega e via de regra, vinhos bastante novos e muito longe do ponto máximo de evolução. E isso me deixava doido, aliás parecia que ele fazia de propósito. Quantas vezes ele sabendo que eu passaria em sua casa, não ia na adega e abria um desses, como se fosse uma provocação. Eu dizia que ele adorava “queimar a largada”.

Há cerca de 2 anos ele abriu um Nicolas Catena Zapata 2010, que era o seu vinho favorito. Era a safra que estava saindo da vinícola. Perguntei a ele qual era a vontade dele em sempre experimentar a coisa pela metade, não aguardar o processo completo. A resposta foi serena e firme: “Não vou guardar nada, não sei quanto tempo vou viver. E se quiser, senta aqui e beba comigo”.

E hoje tenho que admitir: pai, mais uma vez VOCÊ ESTAVA CERTO! Hoje tenho vinhos especiais na minha adega que guardei para abrir com ele em alguns anos (especialmente os Cabernet Sauvignon que eram sua paixão, entre eles um Terrunyo 2008 que obviamente já poderia ter sido aberto há tempos) e outros na adega dele que infelizmente ele me deu ouvidos e resolver guardar para a “data especial”. Com certeza vou abri-los mas o prazer não será completo, e dessa vez, com os vinhos possivelmente no auge. Ironicamente verdadeiro.

Então amigos, sem dúvida que guardar vinhos é especial, mas o dia certo para abrir esses vinhos é na visita de uma pessoa especial, é no dia de comemorar as conquistas, é no dia de buscar um apoio, é no dia que sentir que é o dia, independente do estágio de evolução do vinho. O vinho é uma coisa viva, que se completa pelo momento. A ocasião torna o vinho mais ou menos prazeroso. Uma boa companhia vale mais que 10 anos em garrafa.

Ainda assim aproveitei muito os últimos dois anos com seu Sitta. O fato de trabalharmos juntos nesse período nos fez recuperar muito do tempo que ele não teve na hora de estruturar o patrimônio familiar. Fica minha homenagem e a lembrança dessa última lição.

E um último pedido aos amigos. Seu Sitta era uma pessoa alegre e de bem com a vida assim como espero os eventuais comentários nesse Post.

82 comentários em “Quantos anos devemos guardar um vinho? Uma pequena lição que aprendi.

  1. Rodrigo, fiquei emocionado de ler este post mesmo depois de alguns anos de vc tê-lo postado. Lembro bem uma vez que chegamos na sua casa em um sabado a noite na época de faculdade, seu pai tomando um scotch, sentou e conversou bastante conosco enquanto vc se arrumava para sairmos. Muito legal !! Com certeza ele esta orgulhoso de vc. Abração !

    Curtido por 1 pessoa

  2. Que texto lindo! Pra mim a vida é assim, como seu pai sentia, pra ser aproveitada e comemorada hoje. Pra falar a verdade, não me julguem, não gosto de vinho para guardar, gosto dos prontos para beber, a qualquer momento.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Sem dúvida Sitta, o momento de se abrir um vinho é aquele onde podemos degustar e apreciar junto as pessoas. O que é uma bela garrafa de vinho e um solitário: praticamente nada, minha opinião.
    Por outro lado o que representa uma bela garrafa pra comemorar um dia como o de hoje, na compahia de uma pessoa querida, dando boas gargalhadas !!! Isto sim ficará em nossas memórias. se pudermos juntar ambas as situações, maravilha, senão faço a opção de abrir o vinho … Feliz dias dos Pais a todos. Vamos curtir a vida pois ela é curta demais

    Curtido por 1 pessoa

  4. Parabéns Sitta pelo texto. Você ja tinha comentado isso comigo e na oportunidade que tive de conhecer seu pai, percebi como ele gostava de viver e apreciar à vida. Desde que você comentou comigo esse tema, tenho feito exatamente isso. Guardo alguns mas sempre que dá vontade eles são apreciados. Não fico esperando eternamente não!! Vamos beber os vinhos que temos vontade. Um grande abraço

    Curtir

  5. Parabéns pelo texto, Rodrigo! Já tive oportunidade de lê-lo algumas vezes, e sempre que faço, me emociono. Uma grande lição, compartilhada por você de forma muito sensível e genuína.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s