Degustação às Cegas – Parte 1: Uma Viagem pela Essência do Vinho

Amigos,

Há poucos dias eu li um texto no Facebook sobre Degustação às Cegas, um tema que via de regra causa alguma polêmica ou ao menos divergências de opiniões. Isso reforçou uma vontade anterior de abordar o tema aqui no Blog, Achei que não valeria apenas divulgar minha opinião, mas algumas opiniões, principalmente de pessoas com maior bagagem técnica e litragem que eu, para deixar o artigo (ou a série  deles) mais completo e contundente.

O primeiro convidado a abordar o tema é o advogado e sommelier Mauricio Macedo, conhecido por muitos do Vivino e do Facebook. Boa leitura a todos!!

Venho estudando e degustando vinhos aproximadamente há 10 anos. Nesse tempo, tanto para os estudos do Curso de Sommelier, como para Certificação do Nível 3 da Wine & Spirit (WSET) e também nos eventos da Confraria Sociedade Secreta do Vinho, muitos vinhos foram degustados às cegas.

A degustação às cegas é o tipo de degustação usada tanto para formação de sommeliers quanto nos concursos e avaliações de vinhos em geral.

Um dos mais famosos casos e que colocou os vinhos do Novo Mundo no cenário mundial, causando perplexidade em todos degustadores, aconteceu em 1976 em Paris, conhecido como “Julgamento de Paris”, quando um grupo de jurados degustou alguns vinhos franceses, Bordeaux Crus com vinhos da Califórnia e, surpreendentemente, os vinhos californianos superaram os franceses às cegas.

Degustar às cegas, nada mais é do que degustar um vinho sem saber qual seu rótulo, origem, casta… Antes da degustação os vinhos são cobertas com papel alumínio ou pardo com intuito de não saber qual vinho está sendo provado para garantir a imparcialidade no seu julgamento.

IMG-20180126-WA0027

Uma célebre frase refere que: “Degustar às cegas é uma lição de humildade” e isto define o que vem a ser o propósito de uma degustação às cegas.

A única coisa que importa é a analise do vinho, a memória olfativa e gustativa dos degustadores que por meio dos aromas e sabores identificados tentam descobrir o vinho degustado ou, ao menos, a uva ou sua procedência. Não importa rótulos, não importa premiações, não importa a marca… muitas são as surpresas na hora em que os vinhos são revelados.

Degustar um vinho às cegas é degustar a essência do vinho, poder pegá-lo, observá-lo, sentir seus aromas e degustá-lo é viajar através dos sentidos como se nada mais importasse além do que está na taça.

Mauricio Macedo
Sommelier Profissional ABS/RS
Certificado Lewel 3 WSET

Instagram @magiadovinho

5 comentários em “Degustação às Cegas – Parte 1: Uma Viagem pela Essência do Vinho

  1. Prefiro muito mais às cegas, isso te faz aguçar muito mais suas sensibilidades gustativas. Sensibilidades estes que certamente são mascaradas qdo do conhecimento do rótulo.
    Parabéns Maurício e Sitta!!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s