Top 15 Carménère Chilenos e Curiosidades da Uva.

Amigos,

Como o tema da Confraria de hoje a noite é carménère, aproveitei o embalo para trazer algumas curiosidades sobre a uva e a lista com os 15 melhores carménère chilenos na opinião do Blog.

Trata-se de uma uva com “personalidade” marcante, principalmente por carregar uma certa dose do chamado “pimentão” (pirazina), que faz com que muitas pessoas não se adaptem bem à ela. Na minha opinião os vinhos varietais de alta gama produzidos com essa uva costumam ser de altíssima qualidade, mas os vinhos de entrada costumam ressaltar esse pimentão principalmente por não respeitar o tempo de maturação adequado em uma produção de larga escala. A Pirazina é minimizada com a exposição das uvas ao sol por mais tempo (maturação mais longa).

 

Origem:

A uva Carménère é uma variedade originária da região de Bordeaux, na França. Ela fazia parte do tradicional corte bordalês antes mesmo do Cabernet Sauvignon, surgido por volta do século XIX, e da Merlot, surgida no século seguinte. Quando os vinhedos franceses foram atingidos pela praga filoxera, por volta dos anos 1870, essa variedade foi dada como extinta.

Ressurgimento no Chile:

Julgada extinta, foi redescoberta em 1994 no Chile pelo francês Jean-Michel Boursiquot, que notou que algumas cepas de Merlot demoravam a maturar. Os resultados de estudos realizados concluíram que se tratava na realidade da antiga variedade de Bordeaux, a carménère, cultivada inadvertidamente, misturada com pés de Merlot. Devido à fragilidade da cepa, ela encontrou no Chile um lugar ideal para o cultivo e sobrevive graças ao bom clima e solo, mas sobretudo, ao isolamento físico e geográfico criado por barreiras naturais como o Oceano Pacífico, o Deserto do Atacama, a Cordilheira dos Andes e as águas frias do provenientes do Polo Sul, que protegem essa região de pragas.

Países Produtores:

O Chile é sem dúvida o maior e principal produtor mas também podemos encontrar vinhos dessa cepa na Argentina, Estados Unidos, Itália e China.

Legislação:

Pela legislação chilena, um vinho varietal precisa ter no mínimo 85% da uva referência. A maior parte dos vinhos listados a seguir são compostos de pequenas parcelas de outras uvas, principalmente Petit Verdot, Cabernet Sauvignon, Malbec, Cabernet Franc, e Carignan.

TOP 15 Carménère Chilenos:

As safras são apenas uma referência, a melhor que provei do vinho. Ainda em tempo e por lembrança do amigo Juan Maggi do Chile, dois vinhos que não provei poderiam estar na lista: o Alka da Francois Lurton e o Tierras Moradas da San Pedro.

1. Microterroir 2008, Casa Silva.

2. Carmin de Peumo 2009, Concha y Toro.

3. Purple Angel 2011, Viña Montes.

4. Kai 2006, Viña Errazuriz.

5. Tatay de Cristobal 2011, Von Siebenthal.

6. El Incidente 2011, Viu Manent.

7. Pehuen 2010, Santa Rita.

8. Notas de Guarda Carmenere 2011, Viña Santa Helena.

9. Antiyal 2014, Antiyal.

10. Herencia 2008, Viña Santa Carolina.

11. Terrunyo Carmenere 2007, Concha y Toro.

13. Grial Carmenere 2009, Viña Apaltagua.

13. Las Almas Carmenere 2010, Viña Chilcas.

14. T. H. Carmenere 2013, Viña Undurraga.

15. Winemakers Reserve Black Carmenere 2012, Viña Carmen.

E para quem busca mais dicas de bons vinhos chilenos, o link abaixo pode ser útil!

Os Melhores Vinhos Chilenos do Descorchados 2018

Fontes:
https://pt.wikipedia.org

 

17 comentários em “Top 15 Carménère Chilenos e Curiosidades da Uva.

  1. Eu vinha paulatinamente esquecendo de Carménère já há algum tempo, a ponto de não ter mais nenhum na adega. A rodada de degustações de ontem à noite veio em boa hora para me rememorar a relevância dessa fantástica cepa.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Bacana a história de redescobrimento da Carmenere, e deu vontade de provar um Carmenere americano. Merece menção o da Enos, é bem interessante.
    Gostei dos 15 Carmeneres, tem alguns ainda a serem ticados .

    Curtido por 1 pessoa

  3. Sitta, falando em Terrunyo, provei um lote especial chamado Terrunyo Lote n° 1 (produção de 2400 garrafas) que até hoje não sai da minha cabeça, uma pena que não consigo mais achar ele! Parabéns pelo post e pelas ótimas dicas de Carmenere!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Excelente matéria, amigo! Sou suspeito para falar pois sou fã do Chile, de Carmenère (é o segundo varietal que mais tenho registrado no Vivino) e gosto muito da Casa Silva.
    Que bom que minha mulher me acompanha nessas (já que o gosto dela fica entre Carmenére, Malbec e Merlot).
    Esse Microterroir da Casa Silva provei apenas o 2009, lá em San Fernando (em Dezembro do ano passado), mas foi o melhor carmenère que já conheci. Sei que ainda tenho muito que experimentar (ainda estou muitos degraus abaixo, Rodrigo…) e essa matéria me animou ainda mais e muitos vão para a lista de desejos!
    Fiquei impressionado com o Terroir Hunter constar aí, não pensei que ele tivesse tantos predicados assim — embora goste da Undurraga também.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s