Single Vineyard na Teoria e na Prática.

Amigos,

O que eu tenho percebido nas vinícolas (principalmente as sul-americanas) é que, cada vez mais, elas tem lançado vinhos de vinhedos específicos, os chamados “Single Vineyard”, com a justificativa de mostrar as características específicas de cada terroir.

Mas estes vinhos não são uma invenção recente. eles são quase tão antigos como a própria origem da classificação dos vinhedos. Os Single Vineyards são amplamente difundidos no Velho Mundo

Óbvio que essa justificativa é interessante e muito válida mas eu também enxergo um enorme viés comercial nesses lançamentos. Explico: eu sou uma pessoa que não gosto de repetir vinho e dificilmente compro mais de 2 garrafas do mesmo vinho. Gosto de provar novos produtores, novas castas, novas regiões, etc. Então é muito difícil fidelizar um cliente com o meu perfil e desta forma quanto maior for o número de rótulos da vinícola, maior será minha compra nessa vinícola.

Um “Single Vineyard” é um vinho que deveria ser elaborado com uvas procedentes de um único vinhedo que, por sua localização, condições climáticas e trabalho do viticultor, tenha se convertido em um vinhedo marcante e ocasionalmente único. A singularidade deste tipo de vinhedo destaca-se sobre os outros do seu entorno, dotando-o de personalidade e condições particulares que o diferenciam. Enfim, são vinhedos que têm uma identidade singular.

Para que o termo “Single Vineyard” possa aparecer no rótulo do vinho, é necessário cumprir alguns requisitos: o vinhedo alcançou essa qualificação graças ao reconhecimento que obteve durante décadas sobre as suas singularidades; o vinho é engarrafado separadamente para garantir o valor aportado pelo seu terroir de origem e, por último, sua produção e elaboração devem ser rastreadas. É assim que nascem os vinhos que recebem mais atenção dos críticos e dos consumidores.

Se nos aprofundarmos no tema de vinhos Single Vineyard temos algumas terminologias como Vineyard, Crus, Clos, Viña, Vigna, Vigneto, Quinta etc. A conclusão é que iremos perceber que, no fundo, estamos falando da mesma coisa, com pequenas nuances que as diferem.

Mas seriam todas essas características tão marcantes, a ponto de serem facilmente identificadas e principalmente valorizadas pelo consumidor comum? Bom, para tirar a prova, em companhia dos confrades Antonio Nunes e Fernando Procópio, fizemos o teste com 3 vinhos Single Vineyard da Norton, que são vendidos apenas em conjunto exatamente para proporcionar esta experiência. O nome deste Kit é Lote Single Vineyard.

20181012_110738

Obviamente que podem existir diferenças significativas de produtor para produtor, região para região, etc, já que o conceito pode ser bem amplo, mas neste caso da Norton, de terroir bastante próximos, achei as diferenças bastante sutis com grande similaridade entre os vinhos. As características dos diferentes terroirs estão nos rótulos das fotos abaixo.

 

Lote LC110 – La Colônia, Lujan de Cuyo, Mendoza:  o mais jovem dos três vinhedos com apenas 16 anos, 960 msnm e 16 meses em carvalho. Vinho bastante encorpado, com forte presença de especiarias no nariz e em boca. Algumas notas de café e chocolate com final potente. Destaque para os taninos um pouco mais adocicados que os demais.

20181012_110833

Lote A110 – Agrelo, Lujan de Cuyo, Mendoza: o mais antigo dos três vinhedos com 93 anos, 960 msnm e 16 meses em carvalho. também bastante encorpado, e também com forte presença de especiarias no nariz e em boca. Mesmas notas de café e chocolate com final potente. Destaque para uma picância um pouco mais acentuada que os demais, principalmente no final de boca.

20181012_110903

Lote L110 – Lulunta, Maipú, Mendoza: o vinhedo tem 83 anos, 950 msnm e 16 meses em carvalho. Na minha opinião um pouco mais macio que os demais, com presença de especiarias e baunilha no nariz e em boca. Algumas notas de chocolate e cedro com final potente. Possui diferenças um pouco mais perceptíveis que os dois primeiros, mesmo assim a variação foi pequena.

20181012_110931

7 comentários em “Single Vineyard na Teoria e na Prática.

  1. Bela matéria, elucidou muitas dúvidas sobre o famoso Singles Vineyards, e interessante observar que as diferenças não são tão significativas. Ótima ideia para futuros temas de degustação.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s