Vinho Bouchonné?! O Que Fazer?

Amigos,

Estou escrevendo esse Post devido a problemas que tivemos nos últimos meses por esse defeito. Apesar de saber que existe uma certa porcentagem de vinhos que possam estar bouchonné, somente em janeiro 4 garrafas possivelmente apresentaram esse problema, sendo elas: um Sassicaia 2014, um Bressia Conjuro 2012, um Biondi-Santi Brunello di Montalcino 2008 e um Greenwich 43N Madiran 2009, todos vinhos considerados de alta gama.

Eu digo possivelmente porque não fizemos ainda uma análise da rolha para comprovar o defeito, mas independentemente de estar “bouchonné” essas garrafas não estavam perfeitas e o vinho estava comprometido.

Bouchonne3
Fonte: Wine Folly

Então fica a pergunta: o que fazer se eu compro um vinho (principalmente de alta gama) e ele está bouchonné?

A resposta está nos próximos parágrafos, mas antes de tudo vamos definir o que é um vinho bouchonné.

Entenda o defeito:

Bouchonné ou doença da rolha (corked em inglês) é um termo para um vinho que foi contaminado com o sabor da cortiça e é causado pela presença de um composto químico chamado TCA (2,4,6 – tricloroanisol). O TCA é formado quando fungos naturais (muitos dos quais residem na rolha) entram em contato com certos cloretos encontrados em alvejantes e outros produtos de saneamento e esterilização nas vinícolas. Se uma vinícola usa rolhas infectadas, o vinho fica contaminado.

Bouchonne

O TCA pode contaminar não apenas um único lote de rolhas, mas pode infectar toda uma vinícola (barris de carvalho por exemplo). Uma vez entrincheirados, é muito difícil erradicar. Desde a descoberta recente, no início dos anos 90, da causa do gosto da rolha, a maioria das vinícolas eliminou totalmente o uso de produtos de limpeza à base de cloro. Inclusive, a água usada nas vinícolas para, por exemplo, lavar as garrafas, não pode conter cloro.

O TCA só pode ser identificado depois de o vinho ser aberto. Em estágios iniciais, o aroma pode não ser reconhecido, causando certa controvérsia entre os especialistas. No entanto, em fases avançadas, o vinho perde o sabor da fruta e desenvolve gostos que vão do mofado ao avinagrado, tornando-se intragável. O TCA altera a estrutura do vinho.

Outra maneira de identificar a presença de TCA é cortar a rolha ao meio pois o cheiro ruim fica mais evidente.

Para minimizar esse tipo de defeito, as maior parte das vinícolas tem trabalhado com rolhas “livres de TCA”. Isso faz com que um índice estimado de 2 a 3% de rolhas contaminadas possa ser reduzido a menos de 0,01% de problemas nas rolhas. Esse já foi inclusive um tema do Blog e o link está abaixo:

Rolhas Livres de TCA

O que fazer se o seu vinho estava Bouchonné?

Bom, trata-se de um defeito de fabricação e isso, teoricamente, e por questões de boas práticas incide na substituição do produto pelo fabricante. Mas obviamente ele irá fazer uma análise para saber se o vinho realmente apresentava esse defeito. Dessa forma, você deve guardar a rolha e o vinho para enviar para análise do produtor. Não basta apenas reclamar.

Vale ressaltar que esse defeito não é tão fácil de ser identificado, e pode ser confundido com outras situações que também alteram a estrutura do vinho.

O que dizem as vinícolas?

O usual é analisar a rolha e vinho e trocar a garrafa caso comprovado a contaminação por TCA. Obviamente que por questões comerciais o vinho pode ser substituído sem a análise mas isso fica a critério do produtor.

Conversei com algumas vinícolas que relataram o seguinte:

Tenuta San Guido: apesar de todos os controles na qualidade das rolhas, uma porcentagem mínima de defeitos pode acontecer. O vinho e rolha devem ser enviados a vinícola para análise e será substituído caso o defeito seja comprovado. No caso do meu Sassicaia 2014 estou enviando a rolha para análise.

Bodega Carrau: atualmente trabalha com rolhas do fabricante Diam (free TCA) e o índice estivado de rolhas com defeito é de 1 a cada 1.000 (0,1%). Da mesma forma, vinho e rolha devem ser enviados a vinícola para análise e será substituído caso o defeito seja comprovado.

Pulenta Estate: trabalha com rolhas NDTech e Diam (free TCA). Não informou os índices de defeito e substitui o vinho caso confirmado o defeito.

Enos Vinhos de Boutique: trabalha com rolhas free TCA. Não tem registrada ocorrência desse defeito mas substituiria o vinho caso confirmado o defeito.

Fontes:
https://www.thekitchn.com/what-is-corked-wine-what-does-corked-wine-taste-like-164148

 

Anúncios

16 comentários em “Vinho Bouchonné?! O Que Fazer?

  1. Mandar a rolha e o vinho prá Toscana deve custar um dinheirão. E aí? Depois vc tem que nos contar o retorno disso. Se respeitarem o consumidor de forma adequada vc tem que ser ressarcido e até “compensado”… se, em vez de uma garrafa, mandarem duas pf me chama… hahaha.

    Um abraço Sitta! Parabéns pelo Blog

    Curtido por 1 pessoa

      1. Enfrentei esta situação em um jantar de um excelente restaurante em Natal – RN . Chamei o garçom e ele não quis acreditar! Pedi para chamar o Sommelier, que ficou em dúvida! Pedi para trazer outra garrafa, por minha conta e risco, para fazer uma prova paralela! Só então o Sommelier me deu razão, acompanhado de pedido de desculpas.

        Curtido por 1 pessoa

      1. O ruim de comprar vinho fora é isso, fica difícil e caro reclamar, mas como o percentual de problema desse tipo é baixo vale a pena arriscar, a diferença de preço é muito grande.
        Boa matéria Sitta!

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s