Vinhos Tokaji: História e Tipos de Uvas.

Amigos,

No última noite de vinhos com os amigos, na semana passada, tive a oportunidade de provar um Tokaji Aszu (5 Puttonyos) safra 2005. Isso me motivou a escrever um artigo sobre essa incrível classe de vinhos e, como o assunto é bastante abrangente, vou dividir em duas partes. Nessa primeira, trago a história e os tipos de uvas usados na produção dessas maravilhas.

IMG-20190402-WA0073

História:

“Wine of kings and king of wines”

Quem aprecia vinhos de sobremesa, provavelmente seja apaixonado pelos famosos vinhos doces hungáros, os Tokaji, a quem muitos já chamaram de “Néctar dos Deuses”. Apreciado, há séculos, por reis e imperadores, músicos e escritores, o vinho Tokaji é tão famoso que é citado até na letra do hino nacional de seu país de origem, a Hungria.

Tokaj na verdade é a região vinícola mais famosa da Hungria, cujo vinho doce já foi reverenciado em toda a Europa. Como em muitas denominações clássicas, as 27 aldeias da Tokaj DOP têm identidades únicas e possuem uma mistura de vinhas classificadas.

Tokaj 1

Tokaj refere-se à região, enquanto Tokaji é o vinho. O “i” em húngaro é possessivo e é correto dizer Aszú de Tokaj ou Tokaji Aszú. Para complicar ainda mais, Tokaj é o nome da denominação e uma das 27 aldeias dentro dela.

A denominação foi criada em 1937 por um decreto real, que estabeleceu limites geográficos pelos quais as aldeias poderiam usar o nome Tokaj, o que significa que todo vinho produzido nessas aldeias é igual e mantido nos mesmos padrões na vinha e na adega. Essencialmente, esta é a primeira denominação de origem protegida do mundo para o vinho.

Tipos de uva:

As seis variedades de uvas nativas mais comuns na era pós-filoxera mantiveram sua popularidade na região devido à sua alta acidez, concentração de açúcar e capacidade de contração de botrytis. A variedade mais plantada é Furmint, seguida por Hárslevelű, Sárga Muskotály e pequenas quantidades do resto.

Tokaj 4

Furmint: A Furmint tem aglomerados bem compactos de frutas de tamanho médio, amadurece tarde, mantém alta acidez e é muito propensa a botrytis. O amadurecimento tardio é essencial para aumentar a concentração de açúcar e os aglomerados compactos espalham-se eficientemente. O perfil de DNA identificou a Furmint como um descendente de Gouais Blanc e, portanto, provavelmente um meio irmão da Chardonnay, Riesling, Gamay Noir e outros membros dessa família.

Hárslevelű: Uma descendência genética de Furmint, Hárslevelű tem cachos mais frouxos e peles relativamente grossas, tornando-a menos propensa a botrytis nos anos mais secos. Amadurecimento tardio, aromática, e com acidez elegante, pode produzir vinhos varietais ou funcionar como um componente de mistura para vinhos secos e doces.

Sárga Muskotály: Conhecida como Muškát Žltý na Eslováquia, Muscat Blanc na França, Moscato Bianco na Itália e Gelber Muskateller na Áustria. A uva mais aromática em Tokaj, também mantém grande acidez e está amadurecendo mais tarde. Os seus usos abrangem toda a gama, desde os vinhos secos aos vinhod de Aszú.

Tokaj 5

Além das três primeiras, que abrangem a maior parte da produção, também temos a Kövérszőlő, que quase foi extinta e foi revivida na década de 1990,  a Zéta que é formalmente conhecido como “Oremus” e a Kabar que é também conhecido como Tarcal 10.

No segundo post dessa série, falaremos sobre os vinhos doces, os mais famosos da região, e algumas outras curiosidades. Até breve!

Fontes:
https://www.guildsomm.com
The Oxford Companion to Wine

12 comentários em “Vinhos Tokaji: História e Tipos de Uvas.

      1. Mais uma bela aula que você nos dá, Sitta.
        Já dei umas provas de tokaji em confrarias, só assim pra gente conseguir dar uma bicada!
        Abraço!

        Curtido por 1 pessoa

  1. Valeu Rodrigo.
    Gostei muito da matéria ouvi de uvas e processos que jamais imaginei, fiquei surpreso sempre imaginei que os vinhos doces fossem feitos como os do PORTO mas parabéns pela bela aula de história.
    Aguardo ansioso a próxima.
    Parabéns

    Curtido por 1 pessoa

  2. Mais uma aula sobre a história dos vinhos, essa em particular sobre os famosos e raros (e muito caros por aqui) Tokaj, que provei apenas uma vez e achei muito delicioso e interessante… Pretendo ainda provar algum com mais de 3 puttonyos… kkk
    Obrigado pela matéria Sitta!!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s