Estiba Reservada – Curiosidades e Degustação Vertical

Olá,

O Estiba Reservada da bodega Catena Zapata é, sem dúvida alguma, um dos 3 vinhos mais icônicos da Argentina. Isso se ele não for o número 1!! As informações que você lerá a seguir, ajudarão a corroborar minha opinião.

Estamos falando do principal vinho da vinícola Argentina mais prestigiada no mundo. Dadas as devidas proporções e se falarmos em relação ao renome Mundial, a Catena Zapata é na Argentina o que a Concha y Toro é no Chile.

E realizar uma degustação vertical deste vinho, mesmo que de “apenas” 4 safras, foi uma experiência inesquecível. Agradeço aos confrades César Boreli, Toni Moneiro e José Eduardo pelo convite para esse evento extraordinário e ao amigo Damian pelas informações sobre o vinho.

IMG_20200109_115633_618

Mas antes de falarmos da degustação, vamos saber um pouco mais sobre esse sonho engarrafado.

História e Curiosidades

– A primeira safra foi em 1990, um corte de Cabernet Sauvignon com uma pequena porcentagem de Malbec. A maior parte da colheita foi exportada, mas um lote especial de Cabernet Sauvignon foi separado para venda no mercado doméstico  da Argentina. Assim surgiu o vinho CATENA ZAPATA ESTIBA RESERVADA, produzido a partir dos melhores barris da vinícola. E ele se tornaria o vinho tinto argentino mais procurado pelos colecionadores.

– A composição do vinho, que inicialmente era quase 100% de Cabernet Sauvignon, com o passar dos anos transformou-se em um corte de castas típicas de Bordeaux.

– De cada safra, existem cerca de 30.000 garrafas. A safra 2007, por exemplo, atingiu  a produção de 34.700 garrafas.

– Hoje, a maior parte da produção de Estiba Reservada é vendida no mercado chinês, onde pessoas de alto poder aquisitivo o consideram como um presente de luxo e muito apreciado.

O Catena Zapata Estiba Reservada faz parte da elite dos vinhos mais caros do mundo. Em um ranking elaborado pelo site http://www.wine-search.com, foram identificados os 50 vinhos de maior valor comercial, pelo preço médio e preço máximo. No topo da lista está um Grand Cru de Henri Jayer Richebourg, Côte de Nuits, no valor médio de 16.028 dólares e um máximo de 27.736 dólares. Este ranking inclui 41 vinhos da França, 5 da Alemanha, 2 de Portugal, 1 dos Estados Unidos e 1 da Argentina. O Estiba Reservada está classificado em 46º lugar, com um valor médio de 1.257 dólares e um máximo de 12.496 dólares.

– O fato de ser um dos vinhos mais caros do mundo, também o torna alvo dos falsificadores de vinhos. Eu mesmo já tive a má sorte de beber uma garrafa falsificada há alguns anos atrás.

– Tentei encontrar a informação sobre a capa de feltro utilizada na embalagem do vinho e não obtive sucesso. Informalmente recebi a informação de que ela é apenas para dar uma aparência luxuosa ao vinho.

Degustação Vertical

Neste evento, realizado no El Travia do Itaim, provamos em um único flight as safras 2001, 2006, 2007 e 2010. Os detalhes estão na sequência:

Estiba Reservada 2001: o grande campeão da degustação por unanimidade, um vinho perfeito. Vinho macio e equilibrado, taninos finos e largo final. Nessa safra o enólogo responsável ainda era Pepe Galante e o corte é 52% Cabernet Sauvignon e 48% Malbec com passagem de 24 meses em carvalho francês 100% de primeiro uso. Nota 5,0 estrelas.

Estiba Reservada 2006: empatou em segundo lugar com a safra 2010, mas na minha opinião foi o terceiro. Ainda com longa vida pela frente e aromas de frutas negras e chocolate, em boca taninos firmes e final potente. Nessa safra o corte é Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Petit Verdot e Malbec com passagem de 24 meses em carvalho francês 100% de primeiro uso. Nota 4,6 estrelas.

Estiba Reservada 2007: talvez se fosse degustado sozinho seria melhor avaliado mas lado a lado com as outras safras mostrou que ainda precisa de bons anos na adega. Um pouco fechado mesmo após 3 horas em decanter, frutas vermelhas em evidência, em boca taninos rústicos e final austero. Nessa safra o enólogo responsável já era Alessandro Vigil e o corte é 79% Cabernet Sauvignon e 21% Cabernet Franc, Merlot, Malbec e Petit Verdot com passagem de 18 meses em carvalho francês 100% de primeiro uso. Nota 4,4 estrelas.

Estiba Reservada 2010: na minha opinião foi o segundo colocado. Incrivelmente pronto, mostrando uma possível mudança na vinificação. De acordo com a informação que recebi, o corte dessa safra é 85% Cabernet Sauvignon e 15% Cabernet Franc (o mesmo do meu querido Sassicaia) com passagem de 18 meses em carvalho francês 100% de primeiro uso. Nota 4,8 estrelas.

Uma degustação que irá ficar na memória! Saúde a todos!!

Fontes:
https://www.lanacion.com.ar/lifestyle/visionarios-de-pura-cepa-nid1105161
https://www.fondodeolla.com/nota/catena-zapata-estiba-reservada-entre-los-vinos-mas-caros-del-mundo/

17 comentários em “Estiba Reservada – Curiosidades e Degustação Vertical

    1. O 2006 que tomei teve notas diferentes das do Sitta: “folhas secas, especiarias, madeira, mentol e balsâmico”. Lembro muito bem! Acho que foi uma série especial, produzida no Chile e engarrafada na Argentina. Ainda, no local da numeração da garrafa, que era 002923, tinha a indicação de 10000 produzidas. Indicação de que foi numerada numa grande gráfica paraguaia e contrariando a produção anual do produtor.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s