Matervini

Olá,

Qual poderia ser o resultado de um projeto de dois dos melhores “winemakers” de Mendoza? Vinhos diferenciados e sucesso absoluto! Ainda mais considerando que o volume de produção é de apenas 40.000 garrafas por ano, em todos os rótulos, ou seja, estamos falando de uma vinícola boutique.

Matervini (mãe de todos os vinhos) é um projeto do americano Santiago Achaval e do italiano Roberto Cipresso, cuja parceria vem desde a Achaval Ferrer.

A vinícola nasceu em 2008, com o objetivo de produzir vinhos Malbec de diferentes terroirs e caráter único. É um caminho que vai desde solos tradicionais a outros inexplorados, dos mais jovens aos mais antigos e não aluviais, como os da Pré-cordilheira. Segundo seus fundadores, Matervini é a busca do desconhecido, do novo no antigo.

A belíssima sede da vinícola, que eu tive a oportunidade de visitar em 2018, está localizada em Pedriel, a cerca de 30 minutos do centro de Mendoza. Trata-se de uma bodega 100% sustentável. Com a firme convicção de que não somente é importante o que se faz, mas também como se leva adiante, a Matervini devolve ao vinhedo a compostagem de todos os resíduos orgânicos.

O inovador edifício de paredes coloridas conta com mecanismos passivos e naturais que minimizam o uso de energia, possui painéis fotovoltaicos que geram toda a eletricidade que se consome ao longo do ano e painéis coletores solares que fornecem a energia térmica.

A sustentabilidade é parte fundamental da filosofia da empresa onde, com trabalho responsável, cuida-se do planeta e das futuras gerações, transformando-se assim na primeira vinícola em avançar tanto neste caminho.

Hoje a Matervini tem 7 rótulos em sua linha, dos quais já provei 6 e em algumas safras diferentes.

Os Vinhos.

Matervini Blanco: o único branco da vinícola especializada em Malbec. Conforme contou Santiago Achaval, é um vinho para aquelas tardes de muito calor ou para refeições que harmonizem melhor com um branco.
É uma co-fermentação de Roussanne, Marsanne e Viognier. Antes de sua fermentação, o suco permanece cinco dias em contato com a casca. É um vinho com estrutura, mineralidade e tanino. Um branco pensado como tinto.

Matervini Tinto: vinho jovem de uma zona vitícola jovem, Chacayes, situada a 1.100 metros de altura, de solo aluvial, franco arenoso. Na safra 2016 a produção foi de somente 426 caixas. Corte co-fermentado de 60% Malbec, 29% Cabernet Franc e 11% Petit Verdot do Vale do Uco.

Matervini Antes Andes Viña Canota: este 100% Malbec com passagem em barris de carvalho nasce em solo franco argiloso, muito estruturado e com muito boa permeabilidade. O vinhedo está a uma altitude de 1.000 a 1.200 metros acima do nível do mar, localizado na Pré-cordilheira, aos pés de Villavicencio, Las Heras, Mendoza.

Matervini Antes Andes Valles Calchaquíes: também 100% Malbec com passagem em barris de carvalho provêm de uma formação contemporânea à Pré-cordilheira, porém na província de Salta. A altitude, 2.400 metros acima do nível do mar, é muito superior à de Mendoza. Ali está o vinhedo Rupestre, cultivado pelos irmãos Domingo, na metade do caminho entre Cafayate e Molinos, onde os solos são de geologia mais antiga que a dos Andes e possuem areia e maior presença de granito de origem vulcânico.

Domingo Molina

Matervini Alteza: também com uvas provenientes de Salta e 100% Malbec com passagem em carvalho é o meu favorito da Matervini. Tanto que por dois anos consecutivos apontei como o melhor vinho argentino apresentado na degustação de lançamento do Guia Descorchados, em São Paulo. Os links estão a seguir:
Os Melhores Vinhos Argentinos do Descorchados 2019
Os Melhores Vinhos Argentinos do Descorchados 2018

Matervini Finca: Tem a sua origem em um vinhedo quase centenário de Malbec plantado em 1938, que foi trabalhado com cavalos até o ano 2002. Nasce a 980 metros acima do nível do mar, em um clássico solo aluvial, franco arenoso com camadas de argila, com pedregulhos profundos formados pela atividade milenar do rio Mendoza. Outro dos melhores vinhos da Matervini.

Matervini Piedras Viejas: o vinho ícone da bodega, é o único da linha que ainda não tive a oportunidade de provar, esta na minha Wish List! É um desafio para a agricultura. Está plantado em encostas pronunciadas, em sistema de vaso, a 1.600 metros de altura, onde as condições climáticas são muito hostis. É um dos vinhedos mais extremos do mundo. Cresce em áreas muito pequenas, em solos originais, não aluviais, formados por pedra calcária de 40 a 450 milhões de anos de antiguidade e basaltos vulcânicos fraturados.

Onde Comprar.

A Matervini ainda não tem importação direta para o Brasil, então os vinhos podem ser adquiridos na própria bodega, em Mendoza ou nas vinotecas Lo de Joaquin Alberdi, em Buenos Aires.

Entretanto é possível receber esses vinhos na porta da sua casa, consulte as condições comerciais no link a seguir: Tabela de Preços Matervini no Brasil.

Serviço
Vinoteca Lo de Joaquin Alberdi
Endereço: Borges 1772 ou Serrano 1542
Site: https://www.lodejoaquinalberdi.com/
E-mail: info@lodejoaquinalberdi.com
Instragram: @lodejoaquinalberdi

3 comentários em “Matervini

  1. Muito legal esse projeto. Duas feras juntas, só pode dar coisa que preste, não é? Em breve desejo provar esses vinhos. Abraços , sucesso e parabéns por mais uma belíssima matéria.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Incrível Sitta, a união da Itália com a Argentina, pra executar uma linha de vinhos espetaculares. Provei o tinto uma vez e adorei, esse branco tenho muita curiosidade em provar. E muito interessante o projeto sustentável da vinícola. Parabéns pela matéria amigo! Saúde!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s