Robert Mondavi Winery

Por Marília Fujiwara

“Eu sempre quis melhorar a ideia de viver bem. Com moderação, o vinho é bom para a mente, corpo e espírito.” Robert Mondavi

Se você é um leitor assíduo do blog, já sabe que moro em Davis, cidade universitária que fica a menos de 2 horas de Napa Valley (caso não tenha lido meu post anterior e queira saber mais sobre a região, clique aqui). Toda vez que recebemos visitas, as usamos como ótima desculpa para visitar Napa e por isso tive a oportunidade de conhecer diversas vinícolas e fazer alguns tours. Hoje vou falar da Robert Mondavi Winery que, na minha opinião, é bem completa. Apesar do tour ter uma pegada mais comercial, é didático, possui ótimos guias e claro, se trata de uma das vinícolas mais importantes da Califórnia.

A vinícola oferece diversos tours/degustações que variam entre 20 e 145 dólares. Há também opções de degustações com almoço ou jantar, mas para isso é preciso desembolsar de 125 a 375 dólares. Como ainda ganho em real, gasto em dólar e a cotação não está colaborando, optamos pelo tradicional Tour and Tasting, no valor de US$50.  Justíssimo. O programa todo dura 75 minutos com direito a tour guiado e degustação de 3 vinhos (e se o guia for legal como o último que eu tive, você pode ganhar um vinho extra).

É possível tentar a sorte e comprar o tour na hora, mas minha sugestão é fazer reserva com algumas horas de antecedência. Se for feriado, melhor reservar com alguns dias de antecedência. Já fui 3 vezes nesse tour e nunca tive problemas, mas você pode não ter a mesma sorte.

Tour vinícola Napa Valley
Pátio externo da Robert Mondavi Winery

O nosso guia dessa última vez foi um simpático senhor com dezenas de anos de experiência chamado Pappy (instagram: @pappy_l733 – vale segui-lo, ele sempre posta curiosidades sobre vinhos e Napa). Primeiramente fomos guiados até uma sala onde ele explicou sobre a história do Mondavi.

Tudo começou com o italiano Cesare Mondavi, o patriarca da família, que migrou para os Estados Unidos em 1919. Logo após a mudança, a Lei Seca – lei Americana que proibia a produção, importação, transporte e venda de bebidas alcoólicas – foi implementada. Cesare, que havia comprado um terreno justamente para essa finalidade, encontrou uma brecha na lei que permitia a produção para consumo próprio por motivos religiosos. Como era proibido ensinar como produzir vinho, ele vendia suas uvas com instruções do que não fazer. Foi um negócio de sucesso até o final da Lei Seca.

Em 1943 a família comprou uma pequena vinícola em Santa Helena, na Califórnia, e foi na década de 60 que Robert Mondavi, um dos filhos de Cesare, resolveu seguir carreira solo. O principal motivo foi o desentendimento com o irmão. Enquanto ele era inspirado pelos vinhos franceses e queria produzir “vinho seco”, a família queria continuar exclusivamente com o vinho mais adocicado. Em 1966, Robert oficialmente inaugurou a vinícola Mondavi. Seu grande diferencial era o Sauvignon Blanc, que ele pôs a venda como Fumé Blanc.

Depois da “aula” fomos levados aos campos, onde Pappy nos explicou sobre o cultivo da uva e das parreiras. A primeira coisa que notamos é o tamanho das parreiras, já que elas são baixinhas. Eu, leiga no assunto, sempre tive como referência as imagens dos filmes, onde os casais apaixonados corriam debaixo das parreiras, que se entrelaçavam e formavam túneis de uva. O motivo é que eles podam a planta para que ela foque sua energia na fruta ao invés de ser no crescimento dos troncos. Também se fala da temperatura: o calor durante o dia faz com que a uva fique mais doce. A noite é mais fria e essa diferença dá acidez à fruta (ou seja, a região possui a amplitude térmica ideal para a produção de vinhos de qualidade)

A colheita é sempre feita de agosto a outubro e no período da noite, quando é mais frio e fermenta menos. Se a colheita fosse feita durante o dia enquanto está mais quente, certamente ela fermentaria mais e estragaria mais rápido. Na região também tem bastante neblina em determinadas épocas do ano e como a neblina congela as uvas, os campos geralmente possuem ventiladores gigantes para afastá-la.

Ao caminharmos do campo para o prédio (lindo) onde o vinho é produzido, é possível vermos hera crescendo pelas paredes externas. O principal motivo é manter o local naturalmente mais fresco, mas também dá um charme extra. Lá dentro é possível acompanhar todo o processo do restante da produção… Eles possuem uma belíssima sala de barricas, para o envelhecimento dos principais vinhos. E o custo das barricas de 225 litros pode ultrapassar os US$ 5.000.

Poderia ficar horas falando sobre cada detalhe do tour e da degustação, quer variam de acordo com o guia. Cada visita é diferente da outra e sempre aprendo coisas novas, desde curiosidades da região e da produção, até dicas de como cada vinho se comporta na nossa boca.

Vinhos Degustados:

Fumé Blanc Reserve 2015: um dos clássicos da Mondavi. Corte de 94% Sauvignon Blanc e 6% Sémillon, fermentação em barris de carvalho e ovos de concreto, envelhecimento sobre as borras em barrica francesa (38% nova) por 9 meses. Aromas de pêssego e maracujá, grande complexidade em boca e final longo com notas cítricas.

Momentum Red Blend 2013: corte de 66% Merlot, 31% Cabernet Sauvignon, 2% Malbec e 1% Petit Verdot com envelhecimento em carvalho francês (45% novo) por 27 meses. As parcelas de Merlot e Cabernet Sauvignon provém do distrito de Stags Leap.

Stags Leap District Cabernet Sauvignon 2015: uvas 100% Cabernet Sauvignon, fermentado por 133 dias em tanques de carvalho francês de 5.000 litros e estágio em barris de carvalho francês (97% novo) por 24 meses. Vinho complexo e encorpado, com grande estrutura e largo final. 

Degustação Mondavi Napa Valley

Pappy com toda a sabedoria, nos ensinou para “nunca confiar em um vinho apenas com um gole” e que “apenas depois de 3 goles é que o vinho mostra seu sabor e sua personalidade”.  Ok, Pappy, anotado!

Marilia Fujiwara
Instagram @mariliafujiwara 

8 comentários em “Robert Mondavi Winery

  1. Marilia, mais uma excelente matéria. Parabéns! Almoçamos na vinícola e demos sorte de termos sido o único casal naquele dia. Havia outros, mas o guia nos disse que eram convidados de imprensa. E maior sorte ainda por termos sido ciceroneados por essa fantástica figura que é o Pappy. Gentilissimo e, como você disse, conhece tudo e conviveu com o Robert. Almoço harmonizado delicioso. De novo, recomendo a quem visitá-la a comprar a autobiografia do Mondavi, espetacular, uma aulabdw vida e negociação. Parabéns pela matéria!

    Curtido por 2 pessoas

  2. Lendo a matéria o que sentimos é exatamente o que Marília escreveu acima, viajamos pela Mondavi, um pouco. Não fui ainda mas como já disse em posts anteriores, é objetivo sem dúvida, de fato o dólar não ajuda, mas o esforço valerá a pena. Sempre boas suas matérias .. saúde sempre 🍷

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s