Vivino – Aprecie com (MUITA) Moderação

Amigos,

Tem dois assuntos que já faz um bom tempo que eu quero comentar aqui no Blog mas, tenho evitado escrever porque sei que posso deixar alguns conhecidos magoados. Um deles é esse, destinado a quem acredita que o aplicativo Vivino seja uma real referência para escolher um vinho.

O tema Vivino aqui no blog não é novidade, já postei duas vezes sobre o assunto (links abaixo) mas está na hora de voltar a falar no tema. Afinal, não são poucas pessoas que me perguntam a nota do Vivino quando eu indico um vinho e confesso que as vezes eu mesmo mando um print do Vivino antes que me perguntem, só para adiantar o assunto. 

+ Porque eu ainda utilizo o Vivino.

+ As Diferenças entre o Aplicativo Vivino no Brasil e Estados Unidos.

Esse tema voltou a tona na minha cabeça, neste fim de semana, quando o confrade Marcelo Castanheira abriu uma garrafa do vinho Churchill Valmarino Cabernet Franc da nova safra 2018. Compramos esse vinho juntos e eu estava bastante curioso com a nova safra visto que as anteriores são fantásticas! 

Palavras do Marcelo: “na minha opinião está tão bom como o 2017 (Nota 4.4* no Vivino), não entendi a média do Vivino de, no dia, 3,6* (hoje 3,7*). 

Isso me causou uma grande estranheza e fui investigar. Foi muito fácil!! Das cerca de 35 avaliações do dia, mais da metade eram na verdade referentes ao vinho Valmarino Cabernet Franc Rose, muito mal avaliado no aplicativo. Óbvio que isso distorce completamente a avaliação real do vinho. 

Só que isso não é um caso isolado, acontece sempre. Vinhos misturados são apenas um problema que desqualificam o aplicativo como referência. A seguir seis motivos pelos quais não confio mais na ferramenta: 

1. Fotógrafos de Prateleira: quantas vezes não vejo usuários que apenas batem a foto do vinho nas prateleiras de lojas e mercados e classificam o vinho sem nunca ter provado (apenas para subir no Ranking). E pior, muitos escrevem que não provaram. Isso vale também para aqueles que simplesmente utilizam as fotos de outros usuários sem ter provado o vinho. E você, usuário fiel, se baseia na média composta por avaliações desse gênero.

2. Vinhos Misturados: é extramente comum o Vivino classificar vinhos de maneira errônea, requerendo um ajuste manual. Mas nem todos os usuários fazem esse ajuste, então sempre tem misturas de safras (principalmente) e rótulos.

3. Fanáticos por Ranking: usuários com 500, 600 avaliações por mês. Simplesmente para subir no Ranking. Raríssimas pessoas de fato provam esse número de vinhos por mês (eu não lembro de ter passado de 200, em um mês repleto de eventos. E confesso que as avaliações dos eventos podem ser prejudicadas pelo número de provas, é quase inevitável). Esse número de avaliações é inviável para o fígado e para o bolso!!

4. Preço dos Vinhos: esse é o pior critério. Média simples do preço informado pelos usuários, sem considerar origem, país, local de compra, etc. E inclusive falhas na própria informação do preço. Tenho amigos que trabalham em lojas que relatam que alguns usuários se baseiam cegamente a esse preço, perdendo boas oportunidades.

5. Expertise do Avaliador: o mais importante e talvez mais técnico de todos. A qualidade e experiência do avaliador influenciam diretamente nas médias. Um vinho mais simples e barato, provado por um público  iniciante e menos exigente, certamente terá uma média alta (cansei de ver 5* para Casillero del Diablo). Do outro lado, vinhos provados por avaliadores mais experientes tendem a ter uma média mais baixa pelo grau de exigência de quem prova.

6. Parcialidade do Avaliador: são casos mais raros  que acontecem. Dois exemplos: já vi pessoas que não gostam de uma determinada uva ou país produtor darem uma nota excessivamente baixa propositalmente e já vi pessoas que pagaram muito caro uma garrafa, dar uma nota extremamente alta, mesmo decepcionados com a prova, apenas para justificar o alto investimento.

E tem outro ponto importante. Cada vez mais o Vivino quer se transformar em uma loja on-line e não um aplicativo de consulta (ou com a consulta direcionada aos vinhos que se vende na plataforma). Isso desperta interesses para subir a média.

Mas daí você me pergunta: por que você ainda utiliza o Vivino? A resposta está a seguir:

O Vivino ainda tem funcionalidades úteis e é por isso que eu disse para vocês utilizarem com muita moderação (e não disse para vocês pararem de usar). As principais são:

Consultar a Avaliação dos Amigos: quando eu preciso consultar um vinho que eu não conheço no Vivino, eu consulto a avaliação dos meus amigos, principalmente aqueles que eu conheço muito bem o perfil de gosto e tenho como referência. Não importa se ele faz uma descrição longa ou apenas a nota, isso já me ajuda. E como uma dica para vocês, sempre escrevam a sua nota fracionada ou com os 50 a 100 pontos, isso facilita para quem vai consultar sua avaliação (muito mais do que uma escala ampla de meia em meia estrela).

Para a Própria Consulta: não achei ferramenta melhor pra isso. Escrevam pra vocês, para consultar no futuro. É sua melhor base de dados. Relembrar safras e vinhos, preços e muito mais.

Obviamente que fazer uma consulta ao Vivino não faz mal algum, até ajuda. Apenas não tomem isso como uma referência absoluta e sim como mais uma informação para formar sua opinião para definir a compra de um vinho!

E consultem as avaliações de seus amigos. É por isso continuo postando minhas avaliações no Vivino, mesmo que de maneira bem mais simples!

Saúde a todos e bons vinhos!

 

74 comentários em “Vivino – Aprecie com (MUITA) Moderação

  1. Ótimo texto Sitta,
    Realmente o Vivino tem seus pontos positivos e negativos.
    Aprendi com o passar dos tempos a não me aborrecer com determinadas “falhas” ou “aberrações” e procuro sempre extrair o que há de bom nele.
    Atualmente uso basicamente para registrar meus vinhos, sempre que possível volto a reler, bem como observar os comentários de alguns amigos que conheço e que conhecem sobre vinhos.
    Grato pela partilha amigo e parabéns!

    Curtido por 3 pessoas

  2. Vivino é igual redes sociais, tem que moderar e ponderar. Eu faço igual você quando quero ver um vinho, avalio o que as pessoas que eu sigo falam (by the way eu te sigo lá haha). Mas ainda acho interessante um indicador de preço (caso tenha alguma loja externa) e é isso. Basta ver que o sangue de boi 2011 tem nota 3.9 e ao entrar nas fotos, nenhuma realmente é do sangue de boi…

    Curtido por 2 pessoas

      1. Rodrigo, gostei muito do texto. Eu nunca usei o Vivino como referência pra saber se um vinho é bom ou ruim, mas foi através dele, como rede social, que conheci você e muitos outros que se tornaram amigos. Foi através dele que comecei a manter um histórico dos vinhos que provei e as vezes fico triste de muitos desses vinhos não terem sido armazenados na ferramenta, porque foram provados antes de eu utiliza-lo. Serviu para que eu comparasse minhas próprias avaliações, e percebesse a minha própria evolução de gosto e conhecimento. Cheguei a ficar quase dois anos sem usá-lo e voltei em 2019, postando muitas avaliações que fui guardando em outro software que uso e onde hoje realmente escrevo as avaliações completas. Como todo Apps que surgiu no início da década, o Vivino procurou desesperadamente formas de monetizar o aplicativo. Depois de muitas tentativas e mudanças de modelo (uma época chegou a cobrar por assinaturas Premium), eles descobriram que têm um potencial gigantesco de vender vinhos online. Na verdade, eles são um canal apenas, usando a plataforma como e-commerce. Nunca comprei um vinho deles e meu histórico com eles é de muitas brigas por muitos bugs, mas acho que eles tem um potencial gigantesco se bem trabalhados. Ainda uso, mas não com o mesmo propósito da maioria das pessoas. Parabéns pela análise acima. Tocou em pontos muito bons! Abraço.

        Curtido por 1 pessoa

      2. Olá Mazon
        Muito obrigado pelo comentário e pela sua completa descrição da sua experiência com a ferramenta.
        O Vivino está sujeito aos problemas da maioria das redes sociais que mostram que muitos estão lá pelo ego. Acabar com o Ranking seria a melhor medida, não sei porque ainda não foi feito.
        Ainda assim as reais amizades formadas por ele foram um fator maravilhoso na minha experiência com o aplicativo. Isso nada vai mudar

        Curtir

      3. Escolheu bem o tema Rodrigo!
        Assunto polêmico.
        Acho o Vivino ainda, a base de dados mais prática pra comprar um vinho qualquer.
        Mas tem muitas notas mal dadas, por todos os motivos já falados aqui.
        O melhor mesmo, é usar com moderação como vc disse.
        Parabéns e um grande abraço meu amigo.

        Curtido por 1 pessoa

  3. Sem dúvida, o Vivino tem alguns pontos negativos. A questão dos preços é extremamente mal resolvida pelo aplicativo.
    Mas você esquece o ponto mais importante e interessante, que é a avaliação feita por um grande número de pessoas. Em termos estatísticos, não importa se alguns são maus avaliadores (em tempo: como se define um mau avaliador?). É muito mais significativo ter centenas ou milhares de avaliações do que ter a avaliação de um “grande nome” do mundo do vinho.
    Aplicativos como o Vivino representam a libertação da avaliação dos ditos “experts”, que às vezes fazem suas avaliações levando em conta outros interesses que não a qualidade do vinho.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Cesar.
      Acho que você não entendeu meu ponto de vista.
      De que adianta 50000 avaliações de pessoas com baixo conhecimento ou pouca exigência em um Casillero del Diablo?
      Alguns amigos de lojas me relatam o quanto o aplicativo confunde a cabeça das pessoas.
      Os experts nunca vão classificar 95% dos vinhos do Vivino, então isso não é um fator preponderante.
      Eu não sigo experts, nem média do Vivino. Eu bebo pra conhecer e experimentar sem se preocupar com pré-conceitos

      Curtido por 1 pessoa

      1. Acho que você não entendeu meu ponto. Pela lei dos grandes números, quanto mais avaliações tivermos mais apropriada será o resultado (avaliação média). E isso acontece pq a MAIORIA das pessoas que avaliam, avaliam bem. A premissa que você está usando (de que a maioria não sabe distinguir um Petrus de um Casillero), não tem qualquer base. Em tempo: como é que alguém se torna um expert? E pq a opinião dele é mais importante que a opinião de 50.000?

        Curtir

      2. E eu não estou usando essa premissa. Não sei de onde você tirou isso. O meu comentário foi sobre uma situação específica do Vivino que você não conhece. Uma única pessoa

        Curtido por 1 pessoa

      3. Artigo sensacional, Sitta. Parabéns!! Conseguiu expressar muito do que eu também sinto atualmente em relação ao Vivino. Continuo usando como banco de dados e valorizo muito as opiniões dos amigos e de quem eu confio. Mas, usar como fiel de avaliação não dá mais. Um abraço!

        Curtido por 1 pessoa

  4. Em tempo 2: mas continuo concordando que o aplicativo tem problemas. Fico impressionado com alguns usuários, que conseguem avaliar 200 vinhos em 30 dias!
    Isso quer dizer que eles abriram quase 7 garrafas por dia! Como bebem, não é?!

    Curtir

    1. Acho que você não leu que eu não sigo experts. Recomendo ler esse post aqui: https://vaocubo.com/2017/11/15/pontuacoes-altas-sao-boas-noticias/
      E apesar de concordar que algumas opiniões de alguns experts geram certa controvérsia, não dá pra tirar o mérito de quem estudou e se esforçou, dedicando uma vida ao vinho, para se tornar um expert. Muitos são Master Wine. Então a resposta é estudo, dedicação, sorte, talento natural entre outros.
      E mesmo que você ou eu não concordemos, o mercado de vinhos (que no final é quem importa) aceita que a opinião deles é mais importante.

      Curtir

      1. Bom post. Mas ele mostra como que a opinião de uns poucos experts tem tido “má influência” no mercado de vinhos. Entendo que você não siga os experts, mas a maioria dos consumidores segue…. esse é o problema!
        P.S. Entendi que você estava seguindo a premissa que mencionei pq vc diz que “De que adianta 50000 avaliações de pessoas com baixo conhecimento ou pouca exigência em um Casillero del Diablo?”.
        Um abraço

        Curtido por 1 pessoa

      2. Não, isso foi uma situação específica.
        A maioria das pessoas seguem pseudo influenciadores em redes sociais. Infelizmente é muito triste nossa atual realidade.
        Grande abraço

        Curtir

  5. Muy buena reflexión, concuerdo contigo en la msyoría de los puntos. Obviamente al ser una app que se alimenta de la información de mucha gente, está sujeta a errores ya sean involuntarios o simplemente errores de usuarios que no les importa corregir el vino que escanean o reseñan.
    A mi el ranking que tenga me es indiferente, pero creo que la app podría buscar medios para reducir el número de ” fanáticos del ranking” para buscar que haya más seriedad, objetividad y sobre todo certeza en las puntuaciones del vino que reseñan. Personalmente procuro seguir y considerar solo reseñas de ciertas personas que conozco cuando tengo dudas de un vino.
    La app me ayuda mucho a gestionar mi cava/bodega personal, eso ayuda mucho. Hay otras herrsmientas que también lo hacen, como Cellar Tracker, pero Vivino es menos complicada.

    Saludos amigo!

    Jota

    Curtido por 3 pessoas

  6. Realmente, o Vivino tem esses pontos negativos mencionados no artigo, Sitta, mas alguns positivos: se há avaliação de um Renato Nahas, um Mazon ou alguns outros com alto conhecimento, me sirvo dela para comprar ou deixar de comprar determinado vinho. Também há casos em que percebo que a avaliação de determinado usuário bate com a minha: as do Frank, por exemplo, que nem conheço. Já comprei alguns vinhos de safras mais antigas em promoção porque ele afirmou que estavam vivos. E sempre correto. Outro aspecto é o de que ajuda a lembrar qual foi a sua percepção sobre determinado vinho ou safra. Também utilizo a adega virtual do aplicativo: tem falhas, como a de dobrar frequentemente o vinho (mas, não entra no cômputo geral), porém é uma forma boa de saber o que tenho, de que safra etc. Um ponto que demanda atenção é o dos vinhos que o Vivino vende: são muito caros e muitas vezes a comparação com um vinho que você está analisando é inválida. Isso acontece no Brasil, porque o Nilton Vieira, por exemplo, compra muito através dele em suas viagens para o exterior.

    Curtido por 4 pessoas

    1. Procópio.
      Concordo em gênero, número e grau. Exatamente os mesmos motivos que ainda me fazem usar (mesmo que de uma maneira mais simples) o aplicativo
      Consultar os amigos (referências) e meu próprio arquivo pessoal.

      Curtido por 1 pessoa

    2. Aproveito para felicitar Sitta pela matéria …
      Eu faço o mesmo, utilizo o Vivino como arquivo pessoal ( para ver o já provei ) e como referência ao comprar ( principalmente, por avaliação de amigos que confio ).
      Agora o grande número de pessoas que postam vinhos sem tomar é um absurdo …
      Já vi casos de postagem de vinho com safras de arquivos do próprio Vivino ( e quando você vai ver, naquela safra o rótulo ainda não existia).

      Como loja no exterior… disse certo Procópio, sou o maior fã ( por proporcionar compra do vinho que vc quer e muitas vezes, de várias safras, aí só escolher …).

      Saúde sempre amigos 🍷🍷

      Curtido por 3 pessoas

  7. Excelente Artigo Rodrigo, creio que sintetiza perfeitamente a “experiência” Vivino – creio que todos os utilizadores “experientes” da aplicação irão perceber concordar plenamente com os seus pontos! Eu utilizo a aplicação da mesma forma, ou seja, é um ponto de referência apenas quando estou a pesquisar um vinho, sendo que considero sobretudo as opiniões daqueles que conheço, percebendo como pode ser falacioso interpretar a opinião generalista de um vinho (ainda que não a descarte), sendo que uso a aplicação sobretudo como a minha “base de dados” vínica para me lembrar o que já bebi, quando e como quem bebi e qual a minha impressão na altura!

    Creio que a única coisa que o Rodrigo não referiu e que para mim é de longe o mais importante da aplicação, são os amigos, as provas e experiências que o Vivino nos veio possibilitar – até mesmo esta nossa troca de impressões foi graças ao Vivino! Creio que por isso apenas, vale a pena usar a aplicação e é a razão principal pela qual ainda uso!

    Parabéns pelo blog e um forte abraço de Portugal!

    Curtido por 2 pessoas

    1. Escreveu tudo e tão bem que eu só vou assinalar embaixo!
      O Vivino é para mim uma referência, principalmente do que gostei mais, quando e porquê ou um guia para andar por caminhos desconhecidos.
      E é claro, também um meio de encontrar pessoas e fazer amigos, um dos quais o estimado autor desse blog a quem levanto minhas taças!

      Curtido por 1 pessoa

  8. Faltou um ponto importantíssimo não abordado na reportagem, que é o uso de robôs (bots), ou seja, avaliações compradas por pessoas que querem vender o vinho, seja produtor, intermediário ou vendedor final. Eu mesmo uso pouco e para meu critério somente (que com certeza difere de outros).

    Curtido por 3 pessoas

    1. Muito bem ressaltado Roberto. Fiz referência a isso, de uma maneira bastante velada, quando digo que o Vivino cada vez mais pretende se tornar uma loja online. Com isso outros interesses passam a estar em jogo.
      Parabéns e obrigado pela abordagem

      Curtir

  9. Belo artigo Rodrigo! Concordo plenamente contigo quanto às limitações do Vivino. Eu costumo usar, para ler as avaliações de amigos ou usuários com reconhecido conhecimento sobre vinhos, bem como compartilhar minhas garimpagens! As postagens e “avaliações” em quantidade excessiva, realmente chama a atenção, sendo incompatível com a capacidade metabólica do fígado! Mas existe muito mais vida ( leia-se vinho) além do Vivino!

    Curtido por 1 pessoa

    1. O Vivino tem a função de aproximar as pessoas. É uma rede social. Sabendo usar, podemos tirar proveito apesar das limitações. O problema são as pessoas que tomam ele como verdade absoluta

      Curtir

  10. Volto a comentar por uma lembrança de Arthur da Motta mais acima: uma grande parte de nós, nos conhecemos através do Vivino. Partimos do conhecimento virtual, para encontros presenciais. Esse foi (em maior grau) e ainda é um importante benefício do aplicativo

    Curtido por 1 pessoa

    1. Em Maio de 2019, na Vinexpo de Bordeaux, assisti um debate sobre a venda online de vinhos. Um dos convidados era o CEO do Vivino que, na época, ainda não vendia vinhos no Brasil. Ele comentou algumas coisas interessantes:

      – o Brasil é o maior usuário de “rede social” do aplicativo (o que não é nenhuma surpresa, porque Brasileiro adora uma rede social).

      – o negócio deles é venda de vinhos. Base de 33 milhões de usuários. O foco do aplicativo não é vender vinhos para experts e profundos conhecedores pois, segundo ele, esses usam outros canais (citou até o cellartracker). O foco é vender vinho para quem tem menos conhecimento e vê valor na recomendação.

      – Vende 150 milhões de Euros por ano.

      – Conecta as partes. Ele não compra e vende os vinhos, como uma importadora ou varejista normal.

      Foi muito interessante. De todos no palco, ele e o Tannico da Itália eram os de maior crescimento.

      Curtido por 2 pessoas

  11. Ótima matéria assunto delicado. Levo em conta a opinião de quem conheço no Vivino qdo o uso, pra mim ele funciona para eu ter uma referência em tudo que bebo e o que tenho na adega. Normalmente prefiro conversar com os amigos e ir nas indicações. O Ranking virou uma bobagem sem fim, nem entro nesse assunto para não me chatear. Tbm percebi que o aplicativo está perdendo a característica de informar para vender. Gostaria de um aplicativo melhor. Abraço

    Curtido por 2 pessoas

  12. Uso o Vivino como arquivo pessoal para lembrar do que bebi.
    Depois de um tempo cansei de fazer ficha técnica do vinho. Mesmo porque – apesar de um certo treino e litragem – me considero muito limitado na arte de ser sommelier. Hoje mais descrevo a ocasião do que analiso o vinho em detalhe. E acho o sistema de 5 estrelas muito limitado, mas não criei minha escala.
    Gosto de ver a opinião daqueles que – de fato – considero entendedores.
    Jamais comprei um vinho pelo Vivino, não me convenço nem confio nos dados .
    Acho ridículo os que usam de artifícios para subir no ranking.
    Para mim o maior benefício do Vivino foram os bons amigos e companheiros que vieram através do aplicativo.

    Curtido por 4 pessoas

  13. Bela matéria, Sitta. Concordo com você quase 100%.

    Infelizmente o mundo do vinho como um todo virou uma espécie de grife. Por MUITAS vezes o vinho vira segundo plano e a imagem de glamour e vaidade toma a cena. No Vivino isso ficou bem evidente. Por vezes a grife se suplanta à uma real avaliação. Por vezes o preço do vinho (geralmente alto) é a garantia absoluta de qualidade. Por vezes a marca em si fala muito mais do que o avaliador. Eu busco um cuidado extremo ao avaliar vinhos no Vivino. Tanto para não depreciar o vinho quando não é culpa dele, como para não deixar minha paixão prevalecer.

    A busca pelo ranking virou uma obsessão de muitos. É um show de classificações. É um show de “saúde” nos comentários.

    Mas de qualquer forma, o Vivino foi muito importante para a minha introdução no mundo dos vinhos, ali em 2014. O Vivino me ajudou muito. Passei por todos os perrengues do Vivino, a queda do servidor, a perda das classificações e bancos de dados, os hackers, os bugs… Tudo. Os desenvolvedores estão buscando melhorar e poso dizer que hoje o aplicativo é bastante confiável.

    Espero nunca ter lhe aborrecido com minhas avaliações, Sitta. Você é o cara. Forte abraço.

    Curtido por 3 pessoas

    1. Imagina meu amigo.
      Muito obrigado pelo seu comentário.
      Aliás o vinho em segundo plano e essa vaidade excessiva é outro assunto que me incomoda a tempos. Basta ver o Instagram de alguns pseudo-influenciadores.

      Curtido por 2 pessoas

  14. Aquele caso de amor e ódio o tempo inteiro… Bom, eu continuo usando como minha referência pessoal. Escrevo para mim, como você escreveu, e às vezes deixo até lembretes para quando eu for repetir aquele vinho em nova safra. Se vale a pena pagar o preço, etc.
    Também foi através do Vivino que recebi amigos aqui em Natal, criei amizades como você mesmo e outras menos desejáveis, com o Alan 😁. Enfim, sigo usando.

    Curtido por 1 pessoa

  15. Muito bom texto.
    Concordo com o seu ponto de vista. Gosto da Vivino pela gama imensa de vinhos catalogados, mas me baseio pelas experiências de pessoas que hoje sigo e que têm um linha de pensamento e “gostos” semelhantes ao meu. Inclusive, já comprei um lote em leilão, sem conhecer o vinho, apenas por 2 avaliações suas com uma descrição fantástica sobre o vinho (comprei 6 garrafas do Poliphemo Taurasi 2006). Acho muito legal ler algumas descrições que nos levam a imaginar as sensações que o colega sentiu. Uso também para me manter atualizado sobre os vinhos que possuo.
    Parabéns pelo pelo blog e perfis no Instagram e Vivino.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Muito obrigado Matheus.
      Esse vinho já esteve na lista dos melhores vinhos do mês!
      Hoje tenho usado muito mais o Blog pra trocar experiências e também o Instagram.
      Obrigado por nos acompanhar

      Curtir

  16. Perfeito Sitta. Uso-o pelos mesmos motivos: primeiro manter um histórico pessoal, eletrônico que eu possa consultar com facilidade e que me poupa uma série de esforços já que a base de dados do Vivino é fantástica. E segundo, para que eu possa ter uma referência ao me deparar com algo até então desconhecido. Essa é a parte trabalhosa do app já que a referência que se tem é de acordo com as pessoas que são seguidas, no início bati um pouco a cabeça e desanimava porque como citado por você, algumas pessoas insistem no mau uso da ferramenta. Por fim também aproveito para acompanhar minha adega que é bem pequena, nem precisaria disso, mas é legal saber sempre onde comprei, quanto paguei, quando e onde tomei e etc.
    Abraços! Parabéns pelo blog.

    Curtido por 1 pessoa

  17. Muito pertinentes tuas pontuações. Eu mesma sou até cuidadosa, mas muitas vezes me passo quando escaneio um rótulo. E preço? Esse nem considero. Mas sou daquelas que adora o Vivino, apesar dos pesares. .

    Curtido por 1 pessoa

  18. Excelente o seu texto Sitta! Concordo com você nos prós e contras do aplicativo e o uso como base de dados dos vinhos que provo e também como controle da minha adega! Enfatizo que o maior benefício que o app me trouxe e continua trazendo são as dezenas de excelentes amizades que construí através dele! Isso é precioso! Você inclusive!!

    Curtir

  19. Rodrigo, gostei bastante dos seus comentários sobre o Vivino, pois eu o usava para armazenar as minhas próprias avaliações para futuras compras.
    Agora o Vivino parece só mostrar as avaliações dos últimos 30 dias.
    É fácil migrar do Vivino Brasil para o Vivino USA?
    Há algum modo de recuperar as avaliações antigas?
    Obrigado

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s