Syrah Chileno – 9 Vinhos acima de 90 Pontos V3

Amigos,

O tema do último encontro do blog, realizado no dia 15 de outubro no restaurante El Tranvia do Itaim, em São Paulo, foi uma degustação de vinhos chilenos da uva Syrah. Escolhemos para esta degustação alguns dos principais vinhos do Chile nesta casta e o resultado foi positivamente surpreendente, o que me fez escrever esse post.

Vale ressaltar que um dos melhores vinhos que já provei, o Penfolds Grange, é feito com uvas Syrah.

Mas antes de falar dos vinhos, segue uma breve introdução sobre a uva Syrah com suas diferentes facetas, assim como dados e características da produção no Chile.

Syrah ou Shiraz?

Syrah é uma variedade de uva tinta, cultivada praticamente em todo o mundo. Em 1999, descobriu-se que Syrah era originária do cruzamento de duas uvas obscuras do sudeste da França, Dureza e Mondeuse Blanche. Essa uva tem larga tradição no Rhône e pode muito bem ter sido cultivada lá desde os tempos romanos.

Uma das primeiras coisas que os estudantes de vinho aprendem é que a Shiraz da Austrália é a mesma uva que a Syrah do norte do Rhône. A maioria das uvas internacionalmente famosas tem um único nome, mas esta, tão popular nos últimos tempos que se tornou a sexta mais plantada do mundo, tem dois nomes e duas personalidades muito distintas.

Shiraz é tipicamente ousado, rico, denso e encorpado – o tipo de vinho que harmoniza perfeitamente com um churrasco. O Syrah arquetípico, por outro lado, é muito mais seco, mais perfumado, às vezes evanescente (como na Côte Rôtie, ao sul de Lyon), às vezes cerebral (como nos vinhos da colina granítica de Hermitage mais ao sul), mas geralmente mais fresco do que Shiraz.

Quem faz vinhos desta variedade esquizofrênica tem que decidir se vai chamá-los de Shiraz ou Syrah, idealmente de acordo com seu estilo, mas na prática às vezes de acordo com a moda. Quando os vinhos australianos estavam no topo da lista, o Shiraz era de longe a opção preferida de muitos produtores da África do Sul e do Chile, visando seus rótulos aos apreciadores de vinho do norte da Europa, então apaixonados por Barossa e McLaren Vale Shiraz exportado da Austrália.

No início do século, alguns dos vinhos mais comerciais cultivados na Califórnia, onde Syrah é o nome usual, eram rotulados como Shiraz em um esforço para cavalgar o que era então um caso de amor com todas as coisas australianas. Mesmo vinhos franceses, como Wild Pig (reconhecidamente, não é um nome particularmente francês), já foi rotulado de Shiraz em vez de Syrah.

Mas recentemente houve uma mudança radical nas percepções do ideal platônico do vinho tinto, de modo que até mesmo alguns produtores de vinho australianos, principalmente aqueles que tentam fazer versões mais refrescantes da uva, começaram a chamar seus vinhos de Syrah em vez de Shiraz, refletindo a evolução em outras partes do hemisfério sul.

A Syrah no Chile

No ano de 1996, o Chile tinha menos de 20 hectares de Syrah plantados em todo o país, que, a julgar por suas exportações de vinho, parecia estar completamente colonizado por Cabernet Sauvignon e Merlot. Em 2018, esse número saltou para mais de 7.500 hectares, representando quase 8% do total de uvas plantada no Chile. Em relação a produção em litros, a Syrah ocupou a sexta posição no Chile, no ano de 2019, com mais de 6,0% do total.

Como citou Carlos Mazon, em sua série de artigos sobre “a nova indústria vitivinícola chilena“, o Chile é comprido, com 4.300 KM de extensão e 177 KM de largura e está isolado por barreiras naturais.  Esse isolamento geográfico, bem como a água pura das geleiras dos Andes, verões secos e controles fitossanitários rígidos, permite ao Chile ter condições privilegiadas para a viticultura.

Um Novo Vinho Chileno – Parte 1

De Norte a Sul, o Chile se divide em 6 regiões vitivinícolas. As regiões vitivinícolas Chilenas são divididas em sub-regiões, zonas e áreas. 

Os solos são os mais variados possíveis, resultado de uma longa história de intensas atividades sísmicas e vulcânicas. Além disso, há duas cadeias de montanhas que influenciam diretamente as características climáticas das áreas vitivinícolas, fazendo com que o Chile possa produzir vinhos com características distintas, de acordo com a região, e permitindo que a uva Syrah possa expressar suas duas personalidades de maneira bastante efetiva.

Abaixo, uma lista de 9 vinhos Syrah do Chile, das mais variadas regiões, que indico para prova (na ordem de serviço do evento do blog): 

Pequenas Producciones Syrah 2017, Casa del Bosque:  uvas do Vale de Casablanca (clima frio), passa 12 meses em barricas de carvalho francês (34% novas) e 14,6% de graduação alcoólica. O mais expressivo no nariz do evento, com frutas negras e vermelhas em abundância. Em boca bastante equilibrado e vivo, com taninos macios e largo final. Nota V3 – 93 pontos.

Tococo de Alcohuaz Syrah 2015, Viñedos de Alcohuaz: uvas do Vale de Elqui, passa 23 meses em foudres de carvalho com capacidade para 2.500 litros e 13,5% de graduação alcoólica. Dividiu opiniões no evento, um pouco fechado no nariz, boa complexidade em boca, demonstrou enorme potencial de evolução. Essa safra recebeu 92 pontos de Robert Parker e a produção total foi de 1.245 garrafas. Nota V3 – 91 pontos.

Gravas del Maipo 2014, Concha y Toro: uvas do Vale do Alto Maipo, com estágio de 15 meses em barricas de carvalho francês (50% novas) e 14,5% de graduação alcoólica. Na opinião dos participantes foi um dos vencedores da noite. Aromas de frutas negras, chocolate e pimenta preta. Em boca é potente e encorpado com taninos firmes e largo final. Nota V3 – 95 pontos.

Miramar Vineyard Syrah 2012, Casa Marin: Este é um Syrah vindo de um clima verdadeiramente frio no vinhedo de Lo Abarca, Vale de San Antonio, com estágio de 24 meses em barricas de carvalho francês (35% novas) e “apenas” 12,0% de graduação alcoólica. Bastante aromático com nariz floral e pimentas brancas, acidez marcante, taninos finos e final aveludado. Nota V3 – 92 pontos.

La Cumbre 2016, Errazuriz: uvas do Vale do Aconcagua, com estágio de 22 meses em barricas de carvalho francês (68% novas) e 14,0% de graduação alcoólica. Um dos vinhos que eu tinha maior expectativa mas que ficou um pouco abaixo dos principais do evento. Jovem ainda, grande potencial de evolução  Nota V3 – 91 pontos.

Kankana del Elqui 2014, Viña San Pedro: uvas do Vale del Elqui, com estágio de 18 – 20 meses sendo 90% em barricas de carvalho francês (50% novas) e 10% em foudres com 14,4% de graduação alcoólica. O segundo vencedor da noite (empatado com o Gravas). Nariz com frutas vermelhas e negras, baunilha e café, Em boca é firme e balanceado com taninos frutados e final volumoso.  Nota V3 – 94 pontos.

Sirka 2013, Maray Wines: uvas do Vale do Limari, 90% Syrah e 10% Cabernet Sauvignon, com estágio de 18 meses em barricas de carvalho francês (90% novas) e 14,0% de graduação alcoólica. Um dos menos conhecidos da degustação, mostrou potência combinada com elegância, nariz com leve notas herbáceas (também em boca) e final persistente.  Nota V3 – 92 pontos.

Caballo Loco Gran Cru Limari 2015, Viña Valdivieso: uvas do Vale do Limari, com estágio de 18 meses em barricas de carvalho francês e 14,5% de graduação alcoólica. No nariz tem aromas de olivas e tabaco. Em boca tem corpo médio com notas de couro e groselhas e com final prolongado.  Nota V3 – 92 pontos.

Block g + i Syrah 2016, Polkura: uvas do Vale do Colchagua, 98% Syrah, 2% Viognier com estágio de 24 meses em barricas de carvalho francês (25% novo) e 15,0% de graduação alcoólica. O único que não era o ícone da vinícola nesta uva e o terceiro colocado no geral. Minha terceira safra e todas me impressionaram muito, complexo no nariz e equilibrado em boca com final longo e aveludado.  Nota V3 – 94 pontos.

Sem dúvida que existem outros ótimos vinhos chilenos nesta casta como por exemplo o Montes Folly da Montes e o Pangea da Ventisquero, por exemplo. Vale muito explorar as opções.

Bons vinhos a todos!

Fontes:
https://www.jancisrobinson.com/articles/which-is-better-shiraz-or-syrah
https://www.jancisrobinson.com/articles/the-north-rhone-grape-invades-chile
Servicio Agrícola y Ganadero | SAG

 

5 comentários em “Syrah Chileno – 9 Vinhos acima de 90 Pontos V3

  1. Vivendo e aprendendo, cada comentários e explicações vou me aprofundando na arte de beber vinhos, com o enólogo Rodrigo Sitta. É pena que muitos desses vinhos e de outros comentários não conste por quem são distribuídos no Brasil. Meus parabéns pelas ótimas indicações.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s