Dia do Queijo – Qual data comemorar?

Por Ivan Ribeiro

Hoje vamos falar de um dos maiores companheiros do vinho. O queijo!

Não que seja uma polêmica. Mas cada qual elege seu dia especial, de acordo com a importância da data ou de acontecimentos que marcaram a história do produto, seja pela criação, data de regulação, dia de reconhecimento mundial, ou outro fator que enalteça um dia específico.

Assim como o Champagne, que tem algumas datas sugeridas para serem comemoradas, o queijo, um atraente par para o Champagne, também carrega a mesma condição. Existe o dia do Queijo Mundial, Brasileiro, de Minas e por ai vai. Contudo, seja de uma forma ou de outra, a grande importância são as sensações que o queijo pode nos trazer e o prazer que ele agrega ao ser partilhado com determinadas bebidas, tais como o vinho (seja tranqüilo, espumante ou fortificado ou de sobremesa), mas também com outras bebidas destiladas ou fermentadas, como o uísque, por exemplo.

queijo

Segundo a história, o queijo foi criado por acaso e foi difundido dentro de diferentes culturas mundiais, que seguiram ritos e formas de serem produzidos, tornando-se únicos em suas regiões particulares. Rege a lenda que o queijo foi descoberto por intermédio dos povos árabes que levavam leite em bolsas feitas com o estômago do boi, onde o leite acabava coalhando, seja em decorrência do calor excessivo durantes as viagens, como também pelo fato de ter enzimas (renina ou quimosina) no estômago do boi, que agiam na proteína do lei chamadas caseínas (que estão presentes em mais de 80% do composto do leite), digerindo-as e fazendo com que ele coalhasse, com partes mais duras (queijo) e o soro que é residual desse processo. Esse seria o início da produção do queijo que pode seguir diferentes sequências dentro das opções praticadas e determinadas pelo Mestre Queijeiro.

Dentro desses caminhos podemos encontrar 7 variações de queijos, sendo elas: os queijos frescos, frescos curados, brancos moles, semi-moles, duros, azuis e temperados. Essas seriam as classificações de forma geral. Contudo, existem várias distinções e formas de produção. Seja através da pasteurização ou por meio do leite cru, técnica que vem sendo reconhecida mundialmente e premiando os nossos queijos produzidos em Minas Gerais, de extrema qualidade.

Inclusive, dentro dessa sistemática e já com uma bagagem de mais de 20 turmas ministradas por mim sobre Harmonização em Queijos e Vinhos, podemos dizer que os queijos jamais serão iguais. Seja em decorrência do terroir, clima, região, origem do animal e do leite, ou pela forma como o mesmo vai ser produzido. Assim, podemos dizer que o Valençay e o Clochette somente poderemos encontrar no Vale do Loire. Como os Grana Padano que somente poderemos encontrar na região de sua criação no Vale do Rio Pó, no Norte da Itália desde o século XII, quando por lá foi criado através de uma receita original vinda dos monges cistercienses que sofreu pequenas variações ao longo dos anos, até a edição de uma DOP, com regras e especificações descritas na mesma, que preserva o nome e dá outras diretrizes, inclusive, quanto ao tempo de maturação do queijo, que poderá variar de 9 à 20 meses para finalização do queijo para comercialização.

Ou seja, cada queijo vai ter sua particularidade. Portanto, jamais poderemos ter, por mais que a receita seja igual, um queijo Grana Padano produzido no Brasil com iguais sabores como os feitos na Itália. O mesmo se aplica de forma inversa em relação aos famosos queijos da Serra da Canastra e de Minas Gerais em diversas regiões, cujas técnicas, terroir e cultura, não terão como serem reproduzidas de iguais modos em outras localidades.

Todos esses fatores fizeram com o que o queijo tivesse o dia 20 de janeiro como data mundial e internacional do dia do Queijo. Data que também é aplicada para comemoração do Queijo Brasileiro. Entretanto, existem outras datas relacionadas ao Dia Internacional dos queijos feitos com leite cru, que é dia 17 de Outubro. Data criada desde 1999 quando produtores, consumidores e empresas ligadas ao mundo dos queijos produzidos com leite cru comemoraram e valorizam essa importante data.

Os queijos de leite cru são feitos com leite que não foi pasteurizado ou tratado termicamente. O processo de pasteurização remove muitos dos esporos de fungos, leveduras e microrganismos benéficos que tornam um queijo único. Existem deliciosos queijos pasteurizados, mas os queijos de leite cru merecem ser comemorados por sua complexidade de sabor, diversidade e história. A fabricação tradicional de queijo com leite cru existe há séculos e reflete as características do ambiente, terroir e sabores locais, tendo diversos estilos reconhecidos no nosso meio, tais como o Gruyère AOP, Parmigiano-Reggiano DOP, Roquefort AOC e os americanos como o premiado Tarentaise da Springbrook Farm em Vermont, ou os queijos brasileiros da Serra da Canastra.

Além dessas datas, temos o dia 19 de janeiro, onde se comemora o dia do Queijo  Quark, um queijo repleto de propriedades e benefícios para a saúde. De origem europeia, ele é preparado sem sal e gordura, por isso se destaca pelo teor elevado de proteínas, feito através de fermentação natural, ele fica levemente ácido e com uma textura bastante cremosa, entre um iogurte grego e um requeijão cremoso. Podendo ser substituto da ricota, cottage ou mascarpone e elaborar diversas receitas e combinações com composições salgadas e doces.

queijo 4

E, por fim, e não menos importante, eu diria até que com uma importância sem igual, temos a data de comemoração do Dia do Queijo Artesanal Mineiro, que é comemorado todo dia 16 de Maio desde 2017, quando foi promulgada a Lei instituindo a referida data. A data tem como base o mesmo dia do ano de 2008 quando o modo artesanal de fazer queijos minas, nas regiões do Serro, Serra da Canastra, Salitre e Alto Parnaíba, foi reconhecido como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional pelo IPHAN. Um ganho e uma conquista que merece sempre ser comemorada em todos os tempos.

Mas, seja que dia for, dia 19 ou 20 de Janeiro, dia 17 de Outubro ou dia 16 de Maio, abra seu vinho e selecione seu queijo que melhor harmonizar. O poder da harmonização é importante para compor elementos maravilhosos de percepção aromáticas e gustativas em todos os aspectos. Uma combinação que encanta e que vai fazer você se apaixonar. Quer aprender mais? Acesse nosso instagram @duvalewinetasting e acompanhe nossos cursos sobre Harmonização em Queijos e Vinhos e venha aprender a beleza de harmonizar os elementos ideais e únicos, bem como aprender como montar uma tábua de frios, frutas e outros elementos de uma maneira que eles fiquem equacionados e sem causar desconforto nos vinhos servidos.

+Queijos e Vinhos, breves comentários.

Gostou? Curta, comente e compartilhe!! Feliz dia do Queijo… Abra seu vinho.

Eu sou Ivan Ribeiro do Vale Junior.
Advogado / Sommelier / Professor / Escritor
WSET / ISG / FACSUL / UFRGS
@duvalewinetasting

2 comentários em “Dia do Queijo – Qual data comemorar?

  1. Mais uma matéria sensacional. Acredito que 99% dos enófilos iniciaram nesse mundo durante uma noite de “queijos e vinhos”, aonde provavelmente 99% acreditava que o tinto combinaria com qualquer queijo. a boca salivou com as imagens!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Obrigado, Marceu!! Realmente a combinação queijos e vinhos nem sempre é como pensamos. Com o tempo a turma vai entendendo que algumas combinações são mais prazerosas do que as outras. Obrigado pelo comentário!!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s