Domingo Molina

Olá,

Escrever este post é um momento especial pois a visita à bodega Domingo Molina foi, sem nenhuma dúvida, uma das melhores visitas à vinícolas que já participei. E olha que já fui em muitas! Poucas vezes me senti tão bem recebido quanto por Rafael Molina e sua equipe.

E foi apenas na noite anterior a visita que consegui contato com o Rafael, que inclusive estava fora da cidade de Cafayate, mas a vontade de ambas as partes contribuiu para o sucesso da jornada.

Domingo Molina é uma vinícola familiar de Cafayate, concebida exclusivamente para produzir vinhos de alta gama, está localizada em Cafayate, nos Vales Calchaquíes, província de Salta. De formação profissional e longa experiência em viticultura, os irmãos de Osvaldo, Gabriel e Rafael Domingo têm enfrentado este desafio onde as  surpreendentes características das uvas e as instalações de tecnologia de ponta estão ligados para o sucesso do projeto. A notória qualidade da uva possibilitou que a Domingo Molina forneça uvas para uma famosa bodega de Mendoza.

 

Em seus 60 hectares de vinhedos localizados entre 1.600 e 2.300 metros acima do nível do mar, o microclima exclusivo e especial da região com mais de 300 dias de intenso sol por ano, a baixa precipitação e uma ampla faixa de temperatura, fornece excelentes condições para desenvolver plenamente o potencial total das uvas cultivadas lá. As principais castas cultivadas são o Malbec, o Tannat e o Cabernet Sauvignon e a branca Torrontes e em menor proporção, Merlot, Petit Verdot e Sauvignon Blanc.

IMG-20180810-WA0119

O maior cuidado de Rafael Molina é o equilíbrio entre a madeira e a fruta, tomando muito cuidado para que a primeira não se sobreponha a segunda. E mesmo para pessoas como eu, que gostam de vinhos amadeirados, os da Domingo Molina agradaram demais.

A vinícola possui diversos rótulos divididos em seis linhas de vinhos, o ícone da bodega é O Palo Domingo, vinho de produção extremamente limitada e cuja composição muda de ano para ano para atingir o melhor corte de acordo com a safra. Provamos a safra 2013 em um jantar no restaurante Pachá, em Cafayate, cuja produção é de 2000 garrafas e o corte 90% Malbec, 6% Tannat e 4% Cabernet Sauvignon. Vinho incrível, perfeitamente harmonizado com um Bife de Chourizo.

 

Durante a degustação, junto com Rafael Molina provamos quatro vinhos da linha Domingo Molina, três tintos da safra 2016: Malbec, Merlot e Petit Verdot e um branco Torrontes da safra 2017.

 

Além destes, provamos o Rupestre 2014, um dos principais vinhos da vinícola, corte de 80% Malbec, 10% Merlot e 10% Tannat que passa 12 meses em carvalho francês de primeiro e segundo uso e o Mugron Blend de Enólogos 2017, que ainda não tem rótulo. Esse último é um projeto de diferentes enólogos: Francisco Puga, Mariano Quiroga Adamo, Claudio Maza, Alejandro Nesman e Rafael Domingo e o resultado é formidável, vale a prova!!

 

A Domingo Molina é visita obrigatória para quem vai conhecer as vinícolas de Cafayate.

Serviço:
As informações sobre visitas e degustações na Bodega Domingo Molina podem ser obtidas através do link: Domingo Molina – Turismo
A vinícola oferece visita guiada, degustações e vendas diretas de vinhos em espanhol ou inglês.

3 comentários em “Domingo Molina

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s